Como investir para conquistar a sua independência financeira?

Seja qual for sua idade ou situação econômica, o objetivo de todos passa pela independência financeira. Isso inclui desde o jovem que deseja sair da casa dos pais e iniciar sua vida no mercado de trabalho, até quem já está pensando na aposentadoria.

O planejamento financeiro é fundamental para atingir nossas metas, e desta forma conseguir a tranquilidade necessária para buscar os próprios sonhos, além de aproveitar os familiares e amigos. De maneira similar, para se desenvolver como pessoa, a independência financeira é fundamental.

Sem dúvidas, isto irá variar para cada pessoa, e deste modo não existe uma solução única. Há quem esteja mais preocupado com filhos ou netos, enquanto outros almejam retornos em um prazo mais curto.

Outro aspecto importante na independência financeira é o nível de risco que cada um está confortável em aceitar. Enquanto alguns fazem questão de ter um imóvel próprio, e majoritariamente investir em Renda Fixa, outros preferem morar de aluguel e investir em Renda Variável.

Seja lá qual for o seu horizonte e objetivo, vamos lhe ajudar a atingir a independência financeira de uma vez por todas. Acompanhe com o Mercado Bitcoin, a maior exchange de criptoativos da América Latina em volume e número de clientes.

Como conquistar a independência financeira?

Em primeiro lugar, é necessário estabelecer uma meta. De preferência a objetivos práticos e factíveis, ou seja, dividindo objetivos maiores em pequenos passos. Quem pretende adquirir um imóvel, por exemplo, pode começar juntando o valor para a entrada do financiamento.

No entanto, há quem busque no mercado financeiro uma fonte de renda, investimentos que garantam um retorno mensal. Neste caso, o objetivo é medido em função deste ganho, seja ele em forma de dividendos, aluguel, ou similar.

De qualquer modo, o planejamento financeiro é a chave do crescimento, e consequente independência. Desta forma, equilibrar o orçamento doméstico é tão ou mais importante que realizar bons investimentos.

Fazendo um planejamento financeiro

Se você já fez algum curso ou aula de contabilidade básica, provavelmente vai se lembrar da regra fundamental sobre equilíbrio fiscal. Assim sendo, sempre que houver gastos maiores do que receitas, é necessário compensar com empréstimos ou redução em ganhos acumulados.

Infelizmente, não há mágica. Mesmo o investidor de maior sucesso ao longo dos últimos 60 anos, o multi-bilionário Warren Buffett, começou sua carreira trabalhando na área comercial de gestoras de fundos. Portanto, é impensável obter independência financeira sem uma fonte de renda.

De fato, a base de qualquer estratégia de investimento é ter dinheiro para iniciar, além de renda para suportar seu custo de vida ao longo do processo. Por isso, mesmo que seu objetivo seja um retorno de curto-prazo, sem uma fonte de renda dificilmente será possível atingir a independência financeira desejada.

Levantamento de receitas e despesas

Embora seja uma tarefa desagradável e cansativa, é fundamental saber quanto se gastou por mês em cada categoria de despesas. O primeiro passo do planejamento financeiro envolve descobrir qual o seu gasto médio mensal em despesas fixas, variáveis, obrigatórias e opcionais.

Deste modo, independente se o pagamento é realizado por boleto, cartão de crédito, TED ou débito, tudo deve ser catalogado. De preferência, se possível, os dados dos últimos dois meses são necessários. Além disso, deve-se acrescentar os gastos anuais, como o IPTU, IPVA, seguros, matrícula de cursos, e similares.

Ah, não se esqueça dos presentes de aniversário, festas de fim de ano, e eventuais gastos de manutenção de eletrodomésticos, da própria residência, roupas, e tudo mais.

Calma! Existem alguns aplicativos de celular (apps) que facilitam esta tarefa. Todavia, é possível obter o mesmo resultado utilizando qualquer programa de planilhas, como MS Excel ou Google Sheets.

controle financeiro
Dentre os mais bem ranqueados nas lojas de apps estão Mobills - Controle Financeiro (web, Android, iOS), Toshl Finanças (Android, iOS), Guiabolso Transação (Android/iOS), e Organizze Controle (Android, iOS).

Defina metas e objetivos

Uma vez estabelecido o patamar de gastos médio mensal, é possível iniciar de fato o planejamento. Diante disso, deve-se dividir o objetivo final em pequenas metas factíveis, com valores e prazos bem estabelecidos.

Por mais que você não tenha um objetivo claro em mente, é preciso criar estas metas de curto e médio prazos. Por outro lado, a prática mostra que sonhos concretos são mais eficientes em motivar do que os abstratos. Nesse sentido, ao invés de ter como objetivo final “Juntar R$ 40 mil”, substitua por “Juntar 12 meses de aluguel e condomínio”.

Embora o valor de ambos os objetivos seja o mesmo, existe um objetivo final concreto, algo que o deixará feliz e motivado. Entretanto, ao quebrar esta meta em partes menores, é possível e preferível utilizar valores e datas específicas. Por exemplo, a meta em 3 meses poderia ser “reduzir os gastos de lazer em 20%”. Ou ainda, “acumular R$ 5 mil em investimentos”.

Tenha uma reserva de emergência

Todo bom plano precisa estar preparado para tempos difíceis. Ninguém poderia imaginar que o mundo seria atingido pela atual pandemia, por exemplo. Quantas foram as pessoas que perderam renda, ou empresas forçadas a reduzir, ou até mesmo encerrar seus negócios?

reserva de emergência

Sem dúvida, manter uma reserva de emergência é fundamental para quem pretende atingir a independência financeira. No entanto, é possível utilizar este montante como parte do investimento. Em suma, basta assegurar que esta parte da aplicação não possua carência para resgate, além de um baixo perfil de risco.

Ainda que esta reserva seja insuficiente, ao menos no início do processo, é importante destinar um percentual para este fim. Com o tempo, será possível atingir esta reserva de emergência, e em seguida, aplicar integralmente os recursos em aplicações com maior risco ou período de carência.

Como investir bem para ganhar muito?

Novamente, não existe uma regra única para vencer no mercado financeiro. Contudo, deve-se respeitar algumas regras básicas para evitar os erros mais comuns. A primeira delas é fugir de mercados no qual você não possua o conhecimento técnico básico.

Ninguém vira um expert em questão de dias ou semanas quando o assunto é ações de empresas, fundos imobiliários, criptomoedas, ou debêntures. Similarmente, tentar replicar os conhecimentos de um analista ou investidor experiente nem sempre é o melhor para você. Conforme dito anteriormente, o perfil de risco e objetivos variam para cada indivíduo.

Portanto, se você está iniciando nos investimentos, busque simplificar sua vida. Por este motivo, é importante entender o conceito de rentabilidade real, deduzindo assim eventuais impostos, taxas, além da inflação.

Com toda a certeza, não existe investimento de baixo risco, com alto retorno, e prazo curto de resgate. Em outras palavras, deve-se alocar uma parte em investimentos de menor risco, como a Renda Fixa, ouro, ou cotas de consórcio. Esta fatia será responsável por enquadrar a maior variação de retornos das aplicações com retornos variáveis, portanto, mais arriscadas.

Este outro artigo traz mais dicas para rentabilizar seu dinheiro neste período de baixa remuneração.

Realize aportes mensais

Independente de seu horizonte ou objetivo, realizar aportes de forma regular é uma das características mais importantes segundo os investidores de sucesso. Ao adicionar mais capital em suas estratégias, você aproveita para melhorar seu preço médio, ou seja, aumenta o potencial de ganho futuro.

Contudo, é importante não cair nas falácias apresentadas por influencers e analistas especializados em vender cursos. O fato dos juros compostos acumularem nos investimentos de Renda Fixa não torna ninguém milionário. Isto porque os custos dos produtos, serviços e imóveis sobem em proporção semelhante, também de forma composta.

Esse mesmo efeito da inflação composta provoca um resultado desastroso nos investidores que falham em continuar realizando aportes regulares. Por este motivo, o resultado de carteiras com rentabilidade menor, porém com sucessivos investimentos, conseguem superar outras de maior rentabilidade.

Quais as melhores opções de investimento?

O Brasil vive seu momento de menor taxa de juros na história. Deste modo, praticamente inviabiliza ganhos reais através de aplicações na Renda Fixa. Assim sendo, quando descontamos a inflação, no final do período dificilmente este investimento com baixo risco irá trazer algum lucro.

Restam então aplicações com um nível maior de risco, embora nem todas sejam de renda variável, ou seja, sem previsibilidade de retorno. Uma opção viável são as cotas de consórcio contempladas, um investimento com prazo máximo de 6 meses, e retornos anualizados de até 8,9%.

O Mercado Bitcoin se orgulha em ser a primeira exchange na América Latina a oferecer os tokens de consórcio, cujas cotas foram distribuídas entre os compradores.

Para efeito de comparação, abaixo temos o comparativo de retornos entre os principais indicadores nacionais.

Indicadores

Conforme exposto nos dados acima, o indicador CDI é a referência para as aplicações de Renda Fixa. Este ganho de 3,5% em 12 meses, além de não incluir eventuais impostos, não contabiliza a inflação no período.

Por conseguinte, o investidor deve ter especial atenção quando os planos de independência financeira incluem gastos em moeda estrangeira, ou até mesmo ativos que acompanham estes indicadores.

Tanto o dólar, quanto o ouro, são excelentes formas de proteger o patrimônio. Como efeito, é natural que em períodos de crise estes investimentos, assim como o Bitcoin, apresentem rentabilidade elevada.

É novato no mercado de criptomoedas? Sem problemas, acompanhe este outro texto onde explicamos o que é Bitcoin, e para que servem as criptomoedas.

Investindo em moeda estrangeira

Existem diversas formas de comprar dólares norte-americanos. Isto inclui os tradicionais bancos e casas de câmbio, mas também os contratos futuros de câmbio. Além disso, é possível obter uma exposição indireta através dos fundos de investimento cambiais.

Formas mais modernas e menos burocráticas surgiram, dentre as quais se destaca a stablecoin, uma criptomoeda cujo preço fica sempre muito próximo de 1 dólar. Deste modo, o detentor ganha com a transparência trazida pelo blockchain, este banco de dados sem um coordenador central.

As stablecoins são uma excelente opção para investidores que buscam exposição ao dólar, porém sem a volatilidade das criptomoedas. USD Coin (USDC) é uma stablecoin 100% lastreada em dólar, disponível para negociação em nossa plataforma, 24 horas por dia, 7 dias na semana.

De maneira similar, o ouro também se beneficia da alta do dólar, pois sua negociação é concentrada em países com moeda mais forte. Aos que buscam independência financeira, este ativo é utilizado como reserva de valor inclusive por governos. Novamente, é possível comprar o ouro de forma tokenizada, o que possibilita negociação e envios de pequenas frações.

Curtiu a ideia de investir em ouro em formato de token? A equipe da @usecripto explica quais as vantagens e como investir no PAX Gold (PAXG).

Bitcoin e criptomoedas são uma excelente opção

Diversificar a carteira de investimentos é a melhor forma de evitar surpresas negativas. Ao dividir o montante em diferentes classes de risco e vetores de crescimento, você minimiza as chances de perda.

O potencial do Bitcoin como reserva de valor, por exemplo, é enorme. A prova disto é que empresas bilionárias negociadas na bolsa de valores dos EUA já começaram a colocar parte de suas reservas na criptomoeda. Os exemplos públicos incluem MicroStrategy, com US$ 425 milhões, seguida da gigante de pagamentos Square, com outros US$ 50 milhões em Bitcoin.

De maneira análoga, o espaço que criptomoedas como o Ethereum (ETH) podem atingir é quase infinito, já que suas aplicações descentralizadas não param de crescer. Os investidores sinalizam, após a alta de 300% acumulada em 2020, que esta estratégia de incentivar o desenvolvimento de novos projetos utilizando a rede Ethereum é um sucesso.

Como investir na crise?

O ano de 2020 provavelmente ficará marcado na história dos mercados financeiros, tanto pelo impacto econômico da pandemia, quanto pela reação extraordinária dos Bancos Centrais. No meio disto, os investidores encontram-se com poucas opções, já que as ações norte-americanas estão em seus maiores níveis históricos de preço.

Além disto, a renda fixa, em especial os títulos de dívida das maiores economias e empresas, chegam a apresentar retornos negativos. Isto é o efeito dos fortes estímulos econômicos através da ação dos Bancos Centrais, com pacotes de ajuda que ultrapassam os US$ 9 trilhões ao redor do mundo.

Por este motivo, o Mercado Bitcoin quer ajudar seus clientes a diversificar seus investimentos. Isto é possível buscando alternativas mais seguras e rentáveis em meio à tantas incertezas.

Acompanhe este outro texto sobre como investir na crise, e dicas para começar a investir.

Nossa recomendação é que você explore novas classes de ativos, começando pequeno. Quando ganhar confiança e experiência, busque realizar aportes regulares, aproveitando assim eventuais quedas na cotação.

Deseja aprofundar seus conhecimentos e ganhar dinheiro no mercado de criptoativos? Inscreva-se em nossa newsletter para receber novidades e dicas de investimento de nossos especialistas em seu e-mail.

Post anteriorPróximo post