Como ler o gráfico de cotações do bitcoin

Os gráficos são uma importante ferramenta para organizar uma grande informações e dados. Na economia, eles nos ajudam a entender o comportamento do mercado, identificar tendências e até prever movimentações futuras de preços. Seja de uma ação ou de uma criptomoeda, como o bitcoin. Há, no entanto, uma grande variedade de gráficos, e cada um pode contar uma história diferente.

Você deve lembrar que na escola aprendemos a ler e interpretar os famosos gráficos de linhas, barras e de pizza. Os gráficos de linha, por exemplo, são uma boa ferramenta para representar dados contínuos, especialmente se você precisar analisar dados ao longo de um tempo determinado — podem ser horas, dias, meses ou anos. O de pizza é o mais indicado para mostrar a relação entre uma parte e o todo. Já o gráfico de barras funciona melhor para representar dados descontínuos, relacionando categorias diferentes de informações. Ele é bastante usado no mercado financeiro, mas não tanto quanto o gráfico de Candlestick.

+Confira as principais dicas para investir em bitcoins e outros criptoativos

+Mercado de criptomoedas x mercado de ações: o que é igual e o que é diferente

Amplamente usado no mercado de ações e agora no mercado de criptomoedas, como o bitcoin, esse tipo de gráfico usa as mesmas informações do gráfico de barras, mas possui uma leitura mais simples. Esse tipo de gráfico é representados por barras que lembram uma vela com pavio — por isso o nome “candle” em inglês.

Como ler um gráfico Candlestick

Esse tipo de gráfico é formado por uma série de candles, os quais representam um período de tempo — pode ser um ano, um dia, uma hora ou até um minuto São esses padrões dos candles que trazem informações indicativas de futuros movimentos nos preços das criptomoedas.

Mas como ler esse tipo de gráfico? A variação na altura das barras — que recebem o nome de corpo -, por exemplo, mostra o movimento dos preços de abertura e fechamento de uma criptomoeda, alcançado em um período especificado, como o começo e o final do dia. Pois isso, o gráfico de Candlestick é uma maneira mais simples de identificar as tendências de alta e baixa dos preços das moedas digitais e, consequentemente, apontar os momentos certos para comprá-las ou vendê-las.

As extremidades mais finas, que se assemelham ao pavio de vela são chamadas de sombras. Elas indicam os valores mais altos e mais baixos alcançados pela criptomoeda no período determinado. Mas além do tamanho dessas barras, as cores também importam. Os candles em verde ou branco evidenciam que houve um aumento de preço naquele período, enquanto os em vermelho ou preto, indicam que houve uma queda.

O que dizem as imagens

Ao acompanhar os gráficos candlestick, é possível identificar padrões que indicam se as criptomoedas estão com o preço em uma tendência de alta, baixa ou em um ponto de reversão. Barras ou corpos extensos indicam uma grande variação de valores, enquanto os curtos indicam menor volatilidade nos preços. Confira alguns padrões encontrados em um conjunto de candles

Marubozu — quando a vela não tem pavio, significa que os preços de abertura e fechamento, máximo e mínimo coincidem.

Doji — a imagem que parece uma estrela indica que o preço da abertura foi praticamente o mesmo do fechamento. Ou seja, mostra uma indecisão do mercado.

Hammer — já o desenho de um martelo em vermelho indica a reversão de uma tendência de baixa. Ou seja, pode ser uma bom momento para comprar uma ação ou criptomoeda.

Dojis especiais — os dojis que formam dois “T” também são um forte indicativo de uma reversão de tendência.

Fonte: Time de Economia do Mercado Bitcoin.