Criptoativos

Criptomoedas: O que São e Como Investir Com Segurança!

Criado em 24/08/2021 - Atualizado em 24/08/2021

6 minutos 15 segundos de leitura

Criptomoedas: O que São e Como Investir Com Segurança!

Nem todo ativo digital é uma criptomoeda. Veja o que torna especial essas moedas virtuais, e aprenda a comprar sem riscos.

Bitcoin e Ethereum são as maiores criptomoedas, e juntas representam 60% desse mercado. Ambas as moedas virtuais utilizam a tecnologia do blockchain, o banco de dados compartilhado, portanto, funcionam sem a necessidade de uma entidade reguladora.

Primeiramente, é preciso entender a diferença entre a moeda fiduciária, os Reais, Dólares e Euros, transacionadas na forma digital, e as criptomoedas. De fato, o avanço dos cartões de débito e aplicativos financeiros está tornando o dinheiro físico algo raro.

bitcoin

A primeira imagem, apesar de replicada milhares de vezes na internet, está desatualizada. Em novembro de 2010 o usuário ‘Bitboy’ sugeriu outro logotipo, estilizado de fundo laranja, para o Bitcoin e a comunidade prontamente adotou o novo padrão.

Cabe lembrar que a moeda emitida por governos e Bancos Centrais possui sérias deficiências, por exemplo, a emissão descontrolada. Ademais, seu dinheiro pode ser facilmente confiscado por uma ordem judicial, ou decisão do intermediador. É aí que a vantagem das criptomoedas entra em campo!

Saiba o que é Bitcoin, como foi criado, quem controla, e para que serve na prática.

O que é criptomoeda?

Criptomoedas são ativos digitais que funcionam sem um coordenador central, ou seja, independem de bancos, empresas, e governos. Estas moedas virtuais podem ser utilizadas na compra de bens e serviços, ou transacionada entre os participantes da rede, sem possibilidade de censura ou intervenção.

Confira as diferenças entre dinheiro dos governos (fiat) e moedas virtuais:

Cerca de 95% das moedas virtuais armazenam as transações no blockchain, o banco de dados compartilhado. Esta tecnologia traz transparência e segurança ao sistema, pois toda movimentação é registrada de forma pública e auditável.

Outra característica marcante das criptomoedas é o uso da criptografia, que impede movimentações não-autorizadas nos valores contidos em cada carteira digital.

Por último, é necessário entender que não existe uma fórmula ou entidade assegurando o valor de cada moeda virtual. O preço é determinado exclusivamente por compradores e vendedores em cada exchange, a corretora de moedas virtuais. São exemplos de criptomoedas: Bitcoin, Ethereum, Litecoin, e Ripple.

O que é Bitcoin e criptomoedas?

Bitcoin é a primeira e mais conhecida criptomoeda, porém existem outras milhares em circulação. A principal função dessa moeda virtual são as transferências de valor de forma rápida, segura, e sem intermediários.

Qualquer pessoa pode fazer parte da rede, podendo assim validar transações, realizar transferências, e até mesmo guardar Bitcoin (custodiar) de maneira independente.

No vídeo abaixo, a equipe da @usecripto explica em mais detalhes o que é Bitcoin:

Bitcoin é um bem digital, uma criptomoeda, e só existe dentro de um banco de dados compartilhado. O termo cripto é utilizado por conta da criptografia, os algoritmos responsáveis na segurança das transações.

Dentre as vantagens das criptomoedas ante o dinheiro tradicional, podemos listar:

  • Oferta limitada e previamente determinada;
  • facilmente transferível, sem necessidade de intermediador;
  • 100% transparente e auditável por todos os participantes;
  • Não pode ser falsificada, ou ter transações censuradas.

O que é criptomoeda e como funciona?

Para ser considerado uma criptomoeda, o ativo digital deve apresentar as seguintes características:

CaracterísticaDescrição
CriptografadaUtilizada no hash, o sequenciamento de dados armazenados no blockchain, o livro-registro das transações, além de ser responsável pela assinatura digital, a autorização para movimentar determinada carteira de moedas
DescentralizadaA rede deve funcionar de forma autônoma, suportada pelos usuários (nodes) que rodam o software em seus próprios computadores, sem depender de um servidor central
IrreversívelApós um certo número de confirmações dos mineradores, ou validadores, a transação deve ser cimentada na rede
Não-censurávelQualquer usuário deve conseguir validar o registro histórico por conta própria, além de ser possível transmitir uma solicitação de transferência sem possibilidade de censura

As criptomoedas trabalham com endereços virtuais (carteiras), que não podem ser atribuídos diretamente a uma pessoa ou empresa. Entretanto, isso não significa que o Bitcoin e as moedas virtuais sejam anônimas.

Uma das tecnologias por trás das criptomoedas é o blockchain, essencial para assegurar que uma mesma moeda não seja utilizada duas vezes, conhecido como “problema do gasto duplo”. As informações são armazenadas por todos os participantes, em ordem cronológica, possibilitando o rastreamento de cada moeda virtual desde sua criação.

blockchain

O diferencial desta tecnologia é a facilidade na validação do hash, o algoritmo que une o bloco atual à sequência de dados preexistente. Em contrapartida, encontrar a solução para cada novo bloco é extremamente trabalhoso.

As regras deste mecanismo de validação eliminam o incentivo de fraude, pois transações não-autorizadas são facilmente detectadas pelos participantes da rede.

Corretoras de criptomoedas no Brasil

As criptomoedas permitem a livre negociação entre seus usuários, um modelo conhecido como peer-to-peer, ou ponto-a-ponto. Para dar mais segurança às transações, surgiu a figura das exchanges, similares às corretoras tradicionais.

De maneira similar às bolsas de valores, as exchanges organizam um mercado para negociação de moedas digitais. Compradores e vendedores precisam inserir no sistema uma ordem determinando a quantidade total e o preço unitário a ser negociado.

Em resumo, os preços e quantidades transacionados são determinados única e exclusivamente pela oferta e demanda dos clientes, sem interferência da corretora neste processo.

Em termos práticos, a principal diferença para as corretoras de valores tradicionais é que as exchanges funcionam como as bolsas de valores independentes, portanto é possível ter cotações variando entre plataformas concorrentes.

O Mercado Bitcoin orgulha-se de estar entre as 25 exchanges mais confiáveis do mundo, segundo estudo conduzido pelo Blockchain Transparency Institute (BTI).

Como comprar criptomoedas

Para comprar Bitcoin e outras criptomoedas em uma exchange, o primeiro passo é se cadastrar na plataforma.

Em seguida, é preciso depositar dinheiro na conta da corretora para enfim realizar uma ordem de compra da moeda virtual desejada.

Veja bem, esse procedimento é idêntico a uma corretora de valores tradicional. Inclusive, utilizamos os mesmos padrões de segurança e práticas de prevenção à lavagem de dinheiro.

O Mercado Bitcoin é líder absoluto de mercado no Brasil, tanto em volume negociado, quanto em número de clientes. Além disso, contamos um histórico de funcionamento praticamente ininterrupto desde 2013, sem qualquer registro de perda de valores de clientes.

Como investir em criptomoedas

Uma carteira de investimentos que maximiza o retorno e reduz o risco deve procurar ativos com vertentes diferentes de alta e queda. Este é um dos atrativos das criptomoedas, que além disso possuem previsibilidade de oferta e segurança.

mercado-bitcoin

Por esse motivo, recomendamos aos poupadores alocar uma parte do capital de acordo com seu perfil de risco e horizonte de investimento. No cenário atual de taxa de juros muito baixa com inflação crescente, aplicações de Renda Fixa dificilmente apresentam ganhos reais.

Jamais deixe de investir em um ativo em que você acredita no futuro por conta da forte variação na cotação. Para investir em moedas digitais de maneira segura basta determinar uma pequena alocação no portfólio. Desse modo, mesmo em períodos de queda o impacto não será tão relevante.

No Mercado Bitcoin comprar criptomoedas é simples e sem burocracia, e você pode começar com apenas R$ 100.

Criptomoedas não contam com uma empresa ou grupo responsável por sua cotação, portanto podem ser livremente transacionadas entre usuários. Ao contrário das moedas emitidas por governos, seu valor reside unicamente nos interessados em negociá-las em determinado momento.

Acompanhe neste outro artigo as tecnologias envolvidas no trade de criptomoedas, incluindo mineradores, exchanges, livro de ofertas, e ferramentas de segurança.

Fique ligado

Ainda não tem conta?

Participe agora da nova economia digital!

Criar conta

Fique por dentro das novidades

Assine nossa newsletter e receba nosso conteúdo assim que sair.