Escalabilidade: um problema a ser resolvido

Antes de endereçar o problema em si, precisamos entender do que realmente se trata a escabilidade.

Por mais que seja uma palavra que faz parte do cotidiano de quem está inserido no mercado cripto, “escalabilidade” não é uma palavra tão comum para demais pessoas.

Escalabilidade diz respeito ao quanto uma tecnologia ou serviço é capaz de atingir um número tão grande quanto se queira de usuários, mantendo a qualidade do serviço.

Um exemplo prático de tecnologia escalável nos dias de hoje: a internet.

Hoje, 3,9 bilhões de pessoas no mundo tem acesso à internet. No Brasil, cerca de 70% da população tem acesso à web. Múltiplas pessoas podem ter acesso à internet no mesmo país, cidade, prédio ou até mesmo na mesma casa, sem que ela perca significantemente a qualidade, ou se torne mais cara por isto.

Um exemplo idêntico de tecnologia não-escalável é a própria internet. Mas não hoje em dia: no começo dos anos 2000.

Quem se lembra da internet discada?! Dependendo da hora, utilizar a internet era mais barato - na madrugada, se quiser saber. Em outras horas, era mais caro.

Se mais de uma pessoa se conectasse a uma rede simultaneamente, a chances desta apresentar instabilidades, ou até mesmo cair, era bem alta.

“Mas por que eu preciso saber sobre escalabilidade?”

Se você está inserido no mercado cripto de alguma forma, ou está querendo adentrar ao nosso mercado, é fundamental que você saiba que a escalabilidade é um dos pilares para as redes. E, para a maioria delas, é o pilar mais frágil.

Recentemente, falamos sobre a Ethereum no nosso artigo e, esta plataforma é uma das que mais sofre com a falta de escalabilidade. Em termos de capacidade de processamento em si, a Ethereum consegue suprir bem a demanda. Não falta poder computacional.

No entanto, o “preço” da rede acaba subindo.

Cada transação ou ação de qualquer natureza na rede da Ethereum custam uma taxa em ETH.

Isso vale para um envio de ether, de tokens ERC-20 (tokens criados na Ethereum) ou até mesmo execução de um smart-contract (contrato programado e auto-executável). Confira o nosso guia prático para entender sobre carteira Ethereum.

As taxas são utilizadas para recompensar os mineradores. São a recompensa por fornecer poder computacional à rede e mantê-la viva e funcional.

Quanto maior a quantidade de transações e execuções de smart-contracts, para um número estável de mineradores, maior tende a ser a taxa média por transação. E como o número de mineradores não aumenta proporcionalmente à quantidade de transações, a escalabilidade é posta em jogo.

Falta de escalabilidade da Ethereum

A primeira grande ocorrência que escancarou a falta de escalabilidade da Ethereum ocorreu em 4 de dezembro de 2017, com o surgimento do CryptoKitties, um jogo de gatos virtuais no qual você pode comprar, negociar e colecionar os animais digitais.

Uma aplicação que, em primeira vista, é pouco sofisticado, mas que, apesar disso, gerou uma grande demanda na rede da Ethereum. Foram muitas pessoas jogando ao mesmo tempo e isso gerou um stress na rede.

A taxa média, que era de 0,000684 ETH ou U$ 0,31, chegou a 0,0172 ETH (US$ 8,03).

É importante ressaltar que estamos falando de taxa média. Logo, houve negociações com taxas superiores a este valor.

O principal problema que reside das taxas altas é o preço pago por pequenas transações na rede, que se torna, em certos casos, similar ao próprio valor transacionado.

É como comprar um produto de R$ 50 e pagar R$ 45 pelo frete ou taxa de entrega. Os consumidores não têm apetite para uma taxa tão cara quanto o próprio produto em si. E tratando-se de ether, ou qualquer outra cripto, deveriam ter menos apetite ainda.

E saber isto é fundamental, pois, enquanto escrevo este texto, a taxa média da Ethereum atingiu o seu máximo histórico, em 0,02 ETH. Em dólares, o preço ainda é menor do que na ocasião do Cryptokitties se olhado em dólares (U$ 7,52 aproximadamente), mas a métrica mais precisa é em ETH e, neste caso, estamos na máxima histórica .

taxas ethereum
Fonte: Blockchair

Mas o que levou às elevadas taxas atuais?

Novamente, foi a alta utilização dos aplicativos descentralizados criados na Ethereum. Mais especificamente, pelos aplicativos de finanças descentralizadas (DeFi).

Estes aplicativos são a vertente mais discutida e apreciada do universo cripto no momento. Em um resumo rápido, trata-se de aplicativos que se utilizam da agilidade, transparência e automatização de processos sem intermediários da blockchain da Ethereum, para prover serviços financeiros comuns do mercado tradicional, mas utilizando criptos.

O exemplo mais comum são as plataformas de empréstimo, nas quais você pode exercer tanto o papel de um banco, emprestando cripto a uma taxa de juros por período; ou, como é mais costumeiro no mercado tradicional, como tomador de empréstimo.

Este é apenas um dos diversos exemplos de aplicações de DeFi, mas é seguro afirmar que é o segmento de DeFi é o que mais gera volume de negociações dentro da Ethereum.

Prova disso é o ranking de aplicativos descentralizados (Dapps) na Ethereum:

dapps
Fonte: Dapp Radar

Como podemos ver, dos 11 maiores volumes de Dapps transacionados, transacionados na Ethereum, nove são de finanças descentralizadas. Apesar de fornecerem um serviço muito interessante, podendo até ser chamado de revolucionário, para o mercado cripto, a Ethereum ainda tem dificuldades em suportar um volume alto de transações e execuções de contratos inteligentes.

Isso aumenta ainda mais a ansiedade pela tão famosa - e igualmente protelada - atualização da Ethereum: a Ethereum 2.0.

Um dos principais problemas endereçados pela próxima grande atualização da Ethereum é a própria escalabilidade, através da mudança do mecanismo de consenso, passando de Proof of Work (PoW) para Proof of Stake (PoS).

Este mecanismo é, em tese, mais escalável e, a longo prazo, promete resolver o problema da falta de escalabilidade da Ethereum. Por consequência, a elevação das taxas em períodos de alta demanda da rede.

Enquanto esta atualização (prevista para o presente semestre) não chega, devemos nos manter atentos às taxas cobradas e nos adaptar ao momento.

Ainda tem dúvidas sobre Ethereum, transações, carteiras e segurança? Entre em contato com nossa equipe de suporte. O Mercado Bitcoin encontra-se à disposição para auxiliá-lo nesta jornada.

Post anteriorPróximo post