Educação

Especulação financeira: qual a sua relação com as criptomoedas?

Criado em 08/06/2021 - Atualizado em 08/06/2021

4 minutos 45 segundos de leitura

Especulação financeira: qual a sua relação com as criptomoedas?

Todos nós já escutamos críticos de Bitcoin alegando que o investimento é meramente uma especulação financeira, assim como foi a bolha da Nasdaq em 2000. Conhecida como bolha do ponto-com, por conta das empresas de internet, culminou com uma queda de 78% no valor de mercado, além de diversas empresas falidas.

Afinal, o que é especulação financeira? Existem diversas ações de empresas, além do ouro, diamantes, e obras de arte, que não rendem dividendos, ou seja, não são investimentos que geram fluxo de caixa livre. O que define exatamente um investimento “seguro”?

O mercado imobiliário, considerado um investimento de baixíssimo risco, enfrentou em 2007 sua pior crise em 7 décadas. Um pacote emergencial no valor de 900 bilhões de dólares foi utilizado para evitar uma quebradeira geral no setor, além da falência dos bancos Lehman Brothers e Washington Mutual.

De qualquer forma, nenhum ativo na história enfrentou tantos altos e baixos ao longo de 12 anos como o Bitcoin. Seria esta volatilidade a causa da preocupação com especulação financeira? Caso positivo, isto é algo determinante para o ativo? Acompanhe as respostas com o Mercado Bitcoin, a exchange brasileira líder em número de clientes e volume.

O que é especulação financeira?

No mercado financeiro, especulação significa fazer investimentos sem garantia ou certeza de retorno. Por exemplo, comprar uma participação em um posto de gasolina não pode ser considerado investimento especulativo, pois a demanda e margem do negócio é razoavelmente previsível.

No entanto, negociar o preço do contrato futuro de petróleo é uma tarefa intrinsecamente especulativa. É possível formular hipóteses sobre a produção e demanda internacional, porém historicamente movimentos bruscos de preço costumam ocorrer.

De maneira geral, a especulação é caracterizada pela alta expectativa de rentabilidade, especialmente quando comparada à renda fixa. No entanto, nem todo investimento especulativo é de caráter altamente arriscado. É possível especular na cotação do dólar, contratos de taxas de juros, ações de empresas em crescimento, ouro, e criptomoedas.

Calma! É iniciante e ainda não sabe direito como funcionam, e para que servem as criptomoedas? Clique para acompanhar as respostas.

Bolha e especulação financeira é a mesma coisa?

O investidor que comprou ações da Pets.com, Webvan e Boo.com sabia que as empresas eram apenas promessas, já que nunca haviam apresentado fluxo de caixa positivo. Portanto, o investimento certamente poderia ser classificado como especulativo.

No entanto, a queda de 20% a 30% no valor dos imóveis residenciais nos EUA em 2007 e 2008, dificilmente pode ser caracterizada como especulação financeira. O problema, no caso, foi a fraude, já que os bancos haviam “empacotado” financiamentos imobiliários em instrumentos complexos, erroneamente categorizados como de baixo risco.

A bolha só pode ser efetivamente caracterizada após seu rompimento, já que o valor de tudo é relativo. O metro quadrado de um imóvel em São Paulo pode ou não estar inflado, mas depende também da precificação de outras regiões, e até mesmo outros ativos equiparáveis em risco e retorno.

De qualquer forma, é importante entender que o investimento de risco sempre irá existir, pois nem todo investidor se satisfaz com o retorno da renda fixa ou das ações de empresas estabelecidas, as grandes pagadoras de dividendos.

O que caracteriza um investimento especulativo?

Primeiramente, é necessário se tratar de um investimento de elevado risco, ou seja, incerteza quanto ao retorno. Empresas de um mesmo setor, por exemplo, petróleo, podem apresentar ou não caráter especulativo.

Por isso, é importante entender o conceito de margem de segurança, pois qualquer investimento possui um grau de incerteza. Sem esse número em mente, fica impossível saber se um ativo é ou não especulativo.

Uma gigante estabelecida em diversos países com grandes reservas e ativos de exploração oferece baixo risco, enquanto uma empresa em fase pré-operacional, que ainda está prospectando reservas, é um investimento especulativo.

Nenhum investidor aceitaria investir no ativo especulativo se o retorno projetado fosse similar ao de empresas estabelecidas ou da renda fixa. Portanto, uma das características do investimento especulativo é o alto potencial de ganho.

Por último, operações que visam resultado imediato, ou retornos em momentos adversos, por exemplo, comprar ações de empresa em recuperação judicial, são de caráter especulativo.

Criptomoedas são um investimento especulativo?

Sim. O investidor de Bitcoin e criptomoedas depende exclusivamente do equilíbrio da oferta entre compradores e vendedores. Não existe um retorno previsto, dividendo, lucro, ou qualquer outro recurso que assegure determinado patamar de cotação.

Em linhas gerais, o investidor de criptomoedas busca um retorno muito acima do que é oferecido no mercado de ações, renda fixa, imóveis, e ouro. Isso porque o potencial das criptomoedas é sub-explorado, tanto em adoção, quanto de funcionalidades.

Diversos problemas de escalabilidade, segurança, e usabilidade precisam ser resolvidos até que um percentual 10 ou 20 vezes maior da população adentre diretamente no segmento. Portanto, o potencial de alta dessas criptomoedas é muito alto.

Onde encontrar ajuda para analisar este mercado?

São diversos os sites e aplicativos que trazem indicadores e análises para ajudar a determinar quais as criptomoedas com maior potencial, e quais as chances do mercado estar passando por uma bolha.

O Mercado Bitcoin se orgulha em trazer conteúdo profissional em nosso canal de YouTube, além de posts na rede social Instagram, incluindo lives e entrevistas com renomados analistas de mercado. Você irá encontrar informação prática de como utilizar o DeFi, as finanças descentralizadas, estratégias de trade, ETFs e fundos de investimento, e muito mais.

Não acredite cegamente em influenciadores digitais e analistas, pois cada investidor possui sua capacidade financeira e apetite de risco. Por isso, recomendamos aos clientes diversificar a carteira de investimentos, diluindo assim riscos de perdas causados por determinada classe de ativos.

Este outro artigo explica como fazer um bom gerenciamento de risco, permitindo que parte da carteira seja alocada em criptomoedas, que apesar de apresentar um caráter especulativo, possuem um enorme potencial de ganho.

Fique ligado

Ainda não tem conta?

Participe agora da nova economia digital!

Criar conta

Fique por dentro das novidades

Assine nossa newsletter e receba nosso conteúdo assim que sair.