Criptoativos

Ethereum e Ethereum 2.0: O Que é, Como Surgiu e Como Minerar?

Criado em 04/11/2021 - Atualizado em 04/11/2021

6 minutos de leitura

Ethereum e Ethereum 2.0: O Que é, Como Surgiu e Como Minerar?

Ethereum (ETH) é a segunda maior criptomoeda em valor de mercado. O projeto lançado em julho de 2015 busca novas funcionalidades através de uma camada adicional em seu banco de dados distribuído.

Por esse motivo, o Ethereum não compete diretamente com o líder, Bitcoin, moeda que busca se solidificar como meio de troca e reserva de valor. Uma nova versão, Ethereum 2.0, está em processo de implementação para permitir uma carga maior de transações na rede.

O que é e como surgiu a Ethereum?

Ethereum é o nome da plataforma, e o Ether (ETH) é sua criptomoeda nativa. Porém, ambos tornaram-se sinônimos.

O projeto é baseado na tecnologia blockchain, o banco de dados compartilhado, e permite a programação de aplicativos descentralizados, ou seja, sem um coordenador central.

O Ethereum permite o uso de contratos digitais programáveis e registro de tokens, os criptoativos, que podem ser outras criptomoedas, ou registros digitais sem valor monetário.

  • Criado pelo jovem programador russo-canadense, Vitalik Buterin, ávido estudante do Bitcoin.
  • O projeto foi anunciado publicamente em janeiro de 2014.
  • O ambiente para executar programas, Ethereum Virtual Machine (EVM), foi desenvolvido por Gavin Wood, ex-cientista da Microsoft.
  • 72 milhões de moedas ETH foram emitidas no lançamento em julho de 2015, remunerando investidores, fundadores, parceiros e desenvolvedores.

Para entender o que vai acontecer com a implementação da Ethereum 2.0, confira o vídeo abaixo.

Características da rede Ethereum:

É possível dizer que o código-fonte da Ethereum é inspirado no Bitcoin, a primeira criptomoeda, criada em 2009. Portanto, existem algumas semelhanças entre ambas:

  • Seus registros são públicos e transparentes, utilizando a tecnologia blockchain.
  • A inclusão de novas transações depende de uma validação computacional custosa, porém verificá-las de forma independente é simples.
  • Permite aos desenvolvedores criar e implementar aplicativos descentralizados (dApps), incluindo as Finanças Descentralizadas (DeFi).
  • Tudo funciona sem a necessidade de intervenção de terceiros, ao utilizar os smart contracts, contratos programados auto-executáveis.
  • Os registros dos endereços (contas) são formados por letras e números, portanto, não requer identificação do usuário.

Abaixo temos um diagrama do funcionamento desses contratos programáveis.

smart-contracts-como-funciona

Blockchain da rede Ethereum

A rede foi projetada para se tornar um “supercomputador mundial”, e no início, a criptomoeda ETH não tinha intenção de ser um investimento.

Propriedades da blockchain Ethereum:

  • Novos blocos são registrados, em média, a cada 13 segundos.
  • Permite o registro de criptoativos (tokens) no padrão ERC, um conjunto de regras para interação através de smart contracts.
  • As taxas para registro de operações são pagas exclusivamente com a sua criptomoeda nativa, o Ether (ETH).
  • Validação das transações pelo sistema de Prova de Trabalho (Proof of Work), mecanismo que contribui com a segurança da rede ao impedir o gasto-duplo.

Ao utilizar de maneira correta uma carteira (wallet) do Ethereum, não existe risco de perder suas moedas.

Acompanhe abaixo o vídeo explicando as taxas pagas para utilizar esta rede.

O que são dApps, as aplicações descentralizadas?

A sigla dApps significa Decentralized Application, ou aplicativos descentralizados. São programas 100% baseados em smart contracts cuja gestão é feita sem uma autoridade central.

Características dos dApps:

  1. Usualmente o código-fonte desses aplicativos é disponível para auditoria (open source).
  2. Dados e saldos desses contratos são armazenados em um banco de dados público, o blockchain.
  3. Podem ser utilizados para criar e movimentar criptoativos (tokens), e estes podem ser livremente transacionados entre os usuários.

Principais categorias dos aplicativos descentralizados

  1. Aplicações financeiras: permitem empréstimos de criptoativos, incluindo aqueles pareados em dólar, e demais operações de crédito.
  2. Marketplaces: centrais de negociação utilizando criptomoedas para pagamento.
  3. Jogos: ao invés de demandar um servidor central, os participantes interagem utilizando o blockchain para registro da pontuação e demais dados.

axie-infinity

Acima temos uma captura de tela do jogo Axie Infinity, um sucesso absoluto na rede Ethereum. Ah! O criptoativo AXS está disponível para negociação no Mercado Bitcoin.

Sucesso e problema de escalabilidade

A blockchain do Ethereum é a mais utilizada nas Finanças Descentralizadas (DeFi), além dos tokens não-fungíveis (NFT).

Todavia, o sucesso gerou congestionamento na rede, conhecido como problema de escalabilidade, a quantidade de usuários ativos sem prejuízo da qualidade do serviço.

Soluções de segunda camada, ou Layer-2, estão sendo criadas para solucionar o problema. Os objetivos desta solução são:

  • Obter intervalos mais rápidos entre transações.
  • Reduzir as taxas para registro na rede.
  • Manter a segurança da primeira camada no blockchain.

Diferenças entre Ethereum e Ethereum 2.0

O Ethereum 2.0 é a próxima grande atualização de protocolo, em estágio intermediário de implementação, visando melhorar a usabilidade da rede.

Principais diferenças:

  • Migração para o de Proof of Stake (Prova de Participação), eliminando por completo a mineração.
  • Drástica redução no consumo de energia, grande preocupação de investidores voltados para o ESG, o impacto sócio-ambiental.
  • Torna a rede mais ágil e fortalece os casos de uso do Ethereum.
  • A mudança recente (EIP-1559) introduziu uma destruição de moedas ETH advindas das taxas de registro, reduzindo a inflação equivalente.

As atualizações do Ethereum 2.0 eram previstas desde 2016, e iniciaram oficialmente com a atualização Homestead. Esta versão trouxe a capacidade de fazer mais atualizações de rede. As demais fases de implementação do ETH 2.0 devem durar até o final de 2022.

Como minerar Ethereum?

A mineração de Ethereum atualmente utiliza a Prova de Trabalho, onde mineradores contribuem com seu poder computacional. O processo é relativamente simples, como descrito abaixo, todavia, é algo que custa caro.

Passo a passo para minerar Ethereum:

  1. Investir em hardware: usualmente placas de vídeo potentes (GPU), ou equipamentos projetados para essa finalidade (ASIC), que podem custar até 4 mil dólares cada.
  2. Instalar o software: disponível usualmente para Mac, PC, e Unix, são mais frequentemente utilizados MinerGate, Geth e Ethermine.
  3. Pool (cooperativa) de mineração: para aumentar as probabilidades de encontrar a solução do bloco, usualmente os mineradores trabalham em cooperativas.

De fato, minerar Ethereum pode ser uma atividade lucrativa. Porém, é necessário considerar o potencial aumento no número de mineradores, que por sua vez reduz a rentabilidade dos demais.

Confuso? Calma, o vídeo abaixo explica o que é a mineração de criptomoedas.

Qual a diferença entre investir em Bitcoin e investir em Ethereum?

Tanto Ethereum quanto Bitcoin utilizam o blockchain, banco de dados compartilhados. Cada criptomoeda foi criada com uma finalidade diferente. Nesse sentido, seguem suas principais diferenças:

  • Ethereum é uma plataforma multiuso, graças à sua capacidade de gerenciar tokens e executar smart contracts.
  • Enquanto o fundador do Ethereum é conhecido, Vitalik Buterin, o Bitcoin foi criado pelo pseudônimo Satoshi Nakamoto.
  • A blockchain do Ethereum permite o desenvolvimento de aplicativos descentralizados (dApps).
  • Ao contrário do Bitcoin, que permanece com suas políticas monetárias inalteradas, a Ethereum já as modificou diversas vezes.
  • A quantia de moedas mineradas em Ethereum é ilimitada, enquanto o Bitcoin tem limite máximo final de 21 milhões de unidades.

Ao optar por assumir certos riscos e investir em Ethereum, os usuários passam a fazer parte de um novo ecossistema.

Como podemos perceber, as propostas são muito diferentes. Porém, tanto o Bitcoin quanto o Ethereum encontram-se em estágio inicial de adoção, apresentando enorme potencial. Abra sua conta no Mercado Bitcoin e inicie hoje no mercado que mais cresceu nos últimos anos.

Fique ligado

Ainda não tem conta?

Participe agora da nova economia digital!

Criar conta

Fique por dentro das novidades

Assine nossa newsletter e receba nosso conteúdo assim que sair.