Exchange brasileira lista token que Barcelona usou para arrecadar R$ 7 mi junto à torcida

O Mercado Bitcoin lista nesta segunda-feira (13) a Chiliz (CHZ), um token para uso no segmento esportivo que recentemente foi utilizado pelo clube espanhol Barcelona para arrecadar 1,2 milhão de euros (cerca de R$ 7 milhões) junto a torcedores em 106 países.

A CHZ será incluída no portfólio da exchange hoje, passando a receber depósitos, e começa as negociações na terça-feira (14).

A ideia é usar o ativo digital para facilitar ofertas de vendas por parte de entidades esportivas junto a fãs e torcedores – a emissão de um token em uma blockchain é mais ágil e barata e menos exigente na forma do que, por exemplo, uma emissão de títulos de sócio-torcedor (ou mesmo uma emissão de debêntures ou ações, para pensar no modelo de financiamento do mercado de capitais).

Também tem mais escala e atinge mais pessoas, pelo baixo valor de acesso. O valor do token CHZ será de cerca de R$ 0,07, e o investimento mínimo é de R$ 35.

O exemplo do Barcelona é ilustrativo. O clube espanhol emitiu 600 mil de seus tokens – customizados com base na CHZ e chamados $BAR – ao preço inicial de 2 euros (R$ 12) cada um, e os vendeu em menos de duas horas.

Em troca, os compradores ganharam recompensas como direitos de voto em pesquisas, convites para jogos em áreas especiais do estádio e encontros com jogadores.

Esse modelo de transação esportiva com tokens não visa assegurar um retorno financeiro, e se assemelha mais a uma operação de venda. Mas a demanda foi – e ainda é – tamanha que quem mudar de ideia pode vender o ativo digital, e talvez com lucro; os tokens têm mercado secundário e, atualmente, o $BAR vale cerca de 3,65 euros (R$ 22, na cotação de sexta-feira à noite).

A lista de parceiros da Socios.com inclui outros grandes clubes europeus, como Juventus, PSG e Atlético de Madrid, e campeonatos, como o UFC, a liga profissional de MMA.

No Brasil, ainda não há projetos com times de futebol, mas as empresas veem potencial na base de cerca de 920 mil sócios-torcedores dos 20 clubes da primeira divisão do futebol brasileiro (mais o Cruzeiro, que jogará a série B), segundo estudo recente do canal ESPN.

Também apostam em dados como o de uma pesquisa realizada pela Neilson Sports & Entertainment, em 2019, que mostrou que 86% dos brasileiros teriam interesse em votar em pesquisas e influenciar diretamente seus clubes.

Fonte: Valor Investe

Post anteriorPróximo post