Criptoativos

Fundos de investimento, ETFs ou exchange: por onde investir em bitcoin…

11/05/2021

8 minutos de leitura

Fundos de investimento, ETFs ou exchange: por onde investir em bitcoin?

Em 26 de abril, o ETF HASH11, Fundo de Índice Hashdex Nasdaq Crypto Index, estreou negociação na bolsa de valores B3. A negociação é idêntica a uma ação normal de uma empresa. A diferença está no fato do ativo representar cotas de um fundo de investimento no exterior, que possui 100% de seu patrimônio numa cesta de criptomoedas.

Para o investidor de renda variável, conseguir exposição às criptomoedas através da mesma plataforma que já está acostumado a operar pode parecer mais prático. Cabe lembrar que existem fundos e gestoras que só podem investir em instrumentos tradicionais, através de bolsa de valores.

No entanto, essa estratégia traz consigo alguns custos embutidos. Primeiramente, temos as taxas de administração que consomem parte desses recursos todos os anos, independente da valorização do ativo. Em seguida, temos a questão tributária, visto que vendas mensais de até R$ 35 mil em criptoativos são isentas de impostos, o que não existe em fundos de investimento.

Enfim, é definitivamente positivo oferecer mais opções de acesso às criptomoedas e é provável que a própria concorrência faça com que os custos sejam reduzidos ao longo do tempo.

Para esclarecer essas dúvidas, o Mercado Bitcoin, exchange líder em volumes e número de clientes no país, explica quais as vantagens e desvantagens de investir em Bitcoin através de ETFs, os fundos de investimento.

O que é um ETF, ou fundo de criptomoedas?

ETF, ou exchange traded fund, é um fundo de investimento cujas cotas são negociadas em bolsa de valores. Dentre sua principal vantagem está a capacidade de integrar diversos ativos, sejam eles uma cesta de ações, ouro, petróleo, imóveis, ou contratos derivativos.

Ou seja, através de um único instrumento, que negocia de forma idêntica às ações de empresas, seu detentor ganha acesso a diversos mercados de forma simplificada. No caso do ETF de criptomoedas é possível oferecer uma cesta de moedas ou ativos individuais.

Esses administradores e gestores do fundo de investimento cobram uma taxa de administração para este trabalho, além dos custos de custódia, auditoria e demais despesas associadas à manutenção do fundo de acordo com as regras da Comissão de Valores Mobiliários (CVM) e demais reguladores.

Quer ter mais controle sobre seus investimentos? Veja como é fácil começar a investir em Bitcoin e criptomoedas a partir de R$ 50.

HASH11, o primeiro ETF de criptomoedas no Brasil

O HASH11, ETF da Hashdex Gestora de Recursos iniciou suas negociações na bolsa de valores brasileira em 26 de abril. O fundo investe em cotas do Hashdex Nasdaq Crypto Index ETF, domiciliado em Bahamas, que segue de forma passiva a composição do índice NCI.

Esse índice administrado e distribuído pela Nasdaq atualmente é composto de: 67,7% Bitcoin, 27,2% Ethereum, e os restantes 5,1% distribuídos entre Litecoin, BCash, ChainLink e Stellar. O índice NCI é rebalanceado trimestralmente de acordo com a capitalização de mercado das moedas.

Atualmente, o ETF conta com R$ 1 bilhão de capitalização de mercado e suas cotas negociam cerca de R$ 7 milhões por dia. Os interessados podem comprar e vender o HASH11 através de qualquer corretora tradicional devidamente autorizada para operar na bolsa de valores.

Qualquer um pode investir no HASH11?

Sim. Ao contrário dos demais fundos de criptomoedas oferecidos no país, disponíveis somente para investidores qualificados, no caso do ETF qualquer pessoa pode negociá-los. O valor de sua cota atualmente é de R$ 56, facilitando bastante o acesso a este mercado.

Da mesma maneira, empresas, fundos de pensão e demais fundos de investimento podem adquirir cotas do fundo no mercado secundário ou, se assim preferir, diretamente com o emissor, no mercado primário. Cabe lembrar que há custos do câmbio e prazos associados para criar novas cotas.

ETF de criptomoedas paga imposto?

Sim, qualquer ganho obtido com a negociação de cotas do HASH11 é tributado em 15%. Cabe ao próprio investidor calcular a guia e recolher os impostos. Essa é uma das principais diferenças para quem opta por investir diretamente em criptomoedas através das exchanges.

Em contrapartida, vendas de criptomoedas e criptoativos até R$ 35 mil mensais são isentas de tributação. Lembre-se: este valor pode ser repetido todos os meses, criando uma isenção de até R$ 420 mil por ano.

Acompanhe neste outro artigo como declarar Bitcoin e corporativos no imposto de renda 2021.

Quais as desvantagens do ETF de criptomoedas?

Além das taxas de administração que podem chegar a 1,3% ao ano, as cotas são negociadas exclusivamente em dias úteis, no horário de pregão da bolsa de valores. Desse modo, não é possível aproveitar os demais horários para compras e vendas.

Tampouco há garantias de que as cotas vão seguir o valor teórico das criptomoedas contidas no índice NCI. De fato, existem incentivos para os arbitradores entrarem comprando as cotas quando estiverem negociando abaixo do valor equivalente das criptomoedas contidas no fundo, mas os custos e prazos operacionais podem impedir uma paridade perfeita.

Em resumo: o usuário que compra e negocia criptoativos diretamente nas exchanges tem mais flexibilidade e custos menores.

ETF é mais seguro do que investir em criptomoedas?

Não. Embora o administrador do fundo de índice HASH11 utilize empresas estrangeiras e reconhecidas internacionalmente para a custódia (guarda) das criptomoedas, é possível obter a mesma proteção por conta própria. Inclusive, os usuários que optarem por deixar os criptoativos custodiados no Mercado Bitcoin, podem fazer isso sem nenhum custo.

Nossa dedicação e comprometimento com a segurança é comprovada através dos mais de 7 anos de funcionamento sem intercorrências, hacks ou vazamentos. Somos a única exchange de criptomoeda no Brasil possui tal histórico e isso foi reconhecido por instituições internacionais.

Um dos pilares centrais do Mercado Bitcoin é nossa preocupação com a segurança. Nossos clientes contam com ferramentas como a Verificação em Duas Etapas (2FA), palavra segura e PIN para acessar suas contas e realizar operações. Além disso, mantemos grande parte dos bitcoins de nossos clientes em cold wallets, carteiras não conectadas à internet, para garantir sua máxima segurança.

No vídeo abaixo, a equipe da @usecripto explica como guardar Bitcoin e qual a diferença para deixá-los na exchange.

Investir através do ETF é mais barato?

Não. Existe um mito de que o Bitcoin custa R$ 300 mil e que isso impossibilita o pequeno investidor de entrar em criptomoedas. Isto não é verdade. A fração de Bitcoin, também chamada de satoshi, pode ser livremente negociada e transferida entre os participantes da rede.

Portanto, é possível comprar e vender os mais de 20 criptoativos negociados no Mercado Bitcoin a partir de R$ 50. Além disso, oferecemos na mesma plataforma a negociação de ativos alternativos, incluindo cotas de consórcio, precatório e Vasco Token. São excelentes oportunidades para quem busca retornos muito acima da renda fixa, com baixa volatilidade, a variação diária das cotações.

Qual o futuro do ETF de criptomoedas?

Conforme mencionado, este instrumento dá acesso a um número maior de investidores, antes impossibilitados de comprar diretamente os criativos. Nesse sentido, há um grande potencial neste mercado, que deverá trazer, em breve, ETFs compostos por um único criptoativo.

O Mercado Bitcoin enxerga este mercado como complementar, pois busca um investidor com um perfil diferente, usualmente limitado por questões fiscais ou regulatórias. Nos sentimos muito orgulhosos em ver o crescimento da gestora Hashdex e o sucesso que as criptomoedas têm feito no mercado tradicional.

Curtiu este conteúdo sobre ETF de criptomoedas no Brasil? Acompanhe o Mercado Bitcoin no Instagram e Facebook para receber mais dicas sobre as finanças digitais.

Fique ligado

Ainda não tem conta?

Participe agora da nova economia digital!

Criar conta

Fique por dentro das novidades

Assine nossa newsletter e receba nosso conteúdo assim que sair.