Educação

MCO2 Token e a negociação de créditos de carbono

02/02/2021

9 minutos de leitura

MCO2 Token e a negociação de créditos de carbono

Você sabe o que são créditos de carbono? Em resumo, são certificados digitais que comprovam que uma empresa ou projeto ambiental evitou a emissão de 1 tonelada de gás carbônico (CO2). No entanto, para o planeta, é muito mais do que isso.

Na realidade, este instrumento é uma forma de compensar a emissão de gases poluentes e contribuir com o equilíbrio ambiental. Por isso, o Mercado Bitcoin, exchange líder em volume e número de clientes no Brasil, traz a listagem do token MCO2, uma iniciativa da MOSS, a maior plataforma de carbono do mundo.

Com essa parceria, o Mercado Bitcoin também vai compensar sua própria emissão de carbono. Deste modo, será a primeira corretora de criptoativos do mundo a atingir este objetivo.

Quer ver como você, ou sua empresa, podem participar deste mercado tão importante para a conservação do planeta? Acompanhe conosco!

O que são créditos de carbono?

São certificados digitais que podem ser vendidos para quem deseja ou precisa mitigar suas emissões de gases causadores de efeito estufa. Diante disso, são gerados por empresas e projetos ambientais que emitem menos gás ou que ajudam indiretamente nesse controle.

O crédito de carbono do mercado voluntario é um certificado digital gerado por projetos de conservação que evitam a emissão de CO2. Dessa forma, este crédito não retira CO2 do ar, mas evita a poluição.

Estes créditos de carbono são medidos por 1 tonelada de emissão de CO2 que foi evitada. Ou seja, para o emissor, representa o compromisso de evitar a liberação de gases causadores do efeito estufa na atmosfera.

Como surgiram os créditos de carbono, e para que servem?

A ideia dos créditos de carbono é derivada do Protocolo de Kyoto (Japão), assinado em 1997. Este acordo entre as principais potências do mundo buscava reduzir a emissão de gases de efeito estufa, que aceleram o aquecimento global.

Desta forma, empresas que têm um nível muito alto de emissões, poderiam remunerar outras organizações que emitem menos gás, ou de projetos ambientais nesta área. Em resumo, foi criado um mecanismo para indústrias ou empresas que antes não conseguiam reduzir suas emissões.

Esta necessidade pode ocorrer tanto por programas ambientais voluntários ou obrigatórios, por conta de leis ambientais ou acordos internacionais. Em resumo, quando esses créditos são comprados, ajudamnesse controle e contribuem para o desenvolvimento de comunidades que combatem mudancas climaticas.

Como este token funciona na prática?

O token MCO2, que representa estes créditos de carbono, pode ser transferido entre contrapartes. A titularidade deste crédito dá ao comprador a capacidade de utilizá-lo para cumprimento de programas ambientais voluntários.

Em resumo, o comprador pode optar por utilizar seu crédito de carbono no ato da compra, ou pode manter estes créditos para compensar suas emissões de CO2 quando quiser.

Esta solicitação de uso do crédito de carbono é feita diretamente na plataforma da MOSS, e devidamente registrada no blockchain da Ethereum. Neste caso, o respectivo token é ‘destruído’, atingindo seu objetivo final, comprovando assim a utilização deste crédito de carbono por determinada empresa ou pessoa.

Como são gerados os créditos de carbono?

Existem algumas formas diferentes de gerar créditos de carbono. Por exemplo, é possível citar a conservação de áreas florestais via atividade econômica sustentável, como a silvicultura ao invés da pecuária. Além disso, substituir uma fonte de energia não renovável por uma fonte de energia limpa também acarreta em criação de créditos.

Por último, é possível reflorestar áreas degradadas, ou até mesmo investir em tecnologias ambientais. Uma tonelada de CO2 corresponde diretamente a um crédito de carbono. Entretanto, a redução de outros gases de efeito estufa também pode ser convertida em créditos, criando assim um equivalente de carbono.

Quanto custa cada tonelada de crédito de carbono?

Os créditos de carbono têm um valor de mercado que flutua com base em forças econômicas, ou seja, sua livre oferta e demanda. No entanto, cabe ressaltar que leis e regulamentos ambientais são de suma importância nesta precificação.

O mundo lança na atmosfera em torno de 55 bilhões de toneladas ao ano. Já o Brasil lança 2 bilhões, sendo que 75% está relacionado ao desmatamento da Amazônia, segundo a MOSS.

O MCO2 é o primeiro token de crédito de carbono verdadeiramente global que fornece facilidade, transparência, e segurança. Não obstante, a listagem no Mercado Bitcoin é um marco importante para expandir o mercado, tornando-o mais acessível para pessoas e empresas.

Quem é a MOSS?

Trata-se da maior plataforma ambiental do mundo e a primeira a tokenizar créditos de carbono negociáveis em bolsas cripto. A MOSS levantou dinheiro com terceiros num fundo que comprou US$ 4,5 milhões de créditos de carbono na Amazônia.

Entre seus investidores estão, por exemplo, um ex-sócio da KKR, gigante de private equity, além de Roberto Klabin, fundador da SOS Mata Atlântica e da SOS Pantanal. Não obstante, o projeto da MOSS conta com a participação de Nizan Guanaes, publicitário e empresário.

A MOSS afirma fazer due diligence (avaliação) em projetos de conservação na Amazônia para escolher onde investir. O ativo foi auditado pela CertiK / UP Alliance e o fluxo e lastro pela Armanino.

Quantos tokens MCO2 estão disponíveis?

Há 1.930.798 tokens no mercado, com um valor total de R$ 190 milhões. Portanto, é um dos maiores em valor, com 20% de mercado do segmento do MCO2, segundo a MOSS. Seu valor unitário está em torno de US$ 20, ou seja, próximo de R$ 110.

O Mercado Bitcoin inicia a intermediação do MCO2 em 4 de fevereiro. O token da MOSS é considerado o maior projeto de negociação digital de crédito de carbono da história, sendo lastreado em crédito de carbono gerado na floresta Amazônica.

Qual a origem dos créditos da MOSS?

Os criptoativos estão lastreados em creditos de carbono gerados por projetos que conservam 1 milhão de hectares, o equivalente a 15 vezes a cidade de Nova Iorque, nos EUA. Até agora, a empresa investiu US$ 10 milhões (cerca de R$ 60 milhões) em créditos de carbono de projetos na floresta Amazônica.

Além disso, o MCO2 conta com projetos de conservação da mais alta qualidade e cuidadosamente selecionados na Amazônia e tem como seu registro sólido o maior estoque de um token de crédito de carbono: 2 milhões de toneladas – equivalente a um valor de mercado de US$ 36 milhões.

Cabe ressaltar que há mais de 1 milhão de tokens que irão ao mercado gradualmente.

Qual a importância da listagem no Mercado Bitcoin?

Segundo nosso CEO, Reinaldo Rabelo: “Incluir em nosso portfólio um ativo que remunera projetos de preservação do meio ambiente é um grande passo para o MB e está alinhado com a nossa estratégia de expansão internacional.”

Luis Felipe Adaime, co-fundador da MOSS, decidiu investir no segmento ao perceber o estrago que a mudança climática faz no planeta. Nesse sentido, afirma: “Nada é tão sério quanto a mudança climática”.

O uso do blockchain para transparência

O blockchain, este banco de dados sem um coordenador central, funciona para comprovar que os ativos existem, além do registro das operações. Isso traz segurança aos investidores, além de transparência ao mercado.

Como comprar o criptoativo MCO2?

O MCO2 Token, da MOSS, estará disponível para negociação em 4 de fevereiro no Mercado Bitcoin. Ao entrar em nossa plataforma pelo site ou aplicativo, você irá encontrar o token de utilidade (utility) logo abaixo dos demais criptoativos.

Cabe ressaltar que o Mercado Bitcoin apenas intermedia a negociação de seus clientes, organizando os mercados e assegurando que cada um receba o que foi acordado.

É importante lembrar que cada token possui suas próprias regras de emissão e distribuição. Em resumo, é importante estudar a quantidade máxima a ser emitida, além dos incentivos e benefícios para os participantes deste ecossistema.

A importância da diversificação

Embora exista um potencial de crescimento deste mercado de créditos de carbono, os tokens de utilidade (utility) são ativos de risco, portanto devem fazer parte de uma parcela menor da carteira de investimentos.

Nesse sentido, este outro artigo apresenta mais vantagens e dicas para a correta diversificação, ou seja, aprender a utilizar o risco de forma saudável para obter maiores retornos.

Acompanhe nossas dicas no Instagram, e explore o mundo das finanças digitais com o Mercado Bitcoin, a única exchange brasileira dentre as 25 mais transparentes e confiáveis do Blockchain Transparency Institute.

Fique ligado

Ainda não tem conta?

Participe agora da nova economia digital!

Criar conta

Fique por dentro das novidades

Assine nossa newsletter e receba nosso conteúdo assim que sair.