Educação

O que é Bitcoin?

22/06/2020

O que é Bitcoin?

Sabemos que é uma moeda digital, mas para que serve? Aprenda por que criptomoedas surgiram, como são criadas e como comprar Bitcoin. Você sabia que para minerar Bitcoin é necessário um maquinário chamado ASIC? Aprenda de forma simples o que é Bitcoin e como investir nesta criptomoeda.

O Mercado Bitcoin ensina o que é Bitcoin, como foi criado, a necessidade dos mineradores, e o racional do investimento em criptomoedas. Acompanhe abaixo!

Para que serve?

A reação normal de qualquer pessoa ao escutar sobre Bitcoin pela primeira vez é de espanto, afinal, porque algum ativo digital deveria valer tanto? Estamos acostumados a ter tudo de graça (ou quase) na internet, um mundo onde tudo pode ser copiado. Afinal, o que é Bitcoin, e mais importante, para que serve o Bitcoin e as criptomoedas?

Satoshi Nakamoto, esse indivíduo (ou grupo) anônimo que criou o Bitcoin no final de 2008, não inventou quase nada, ao contrário do que se imagina. A tecnologia de banco de dados distribuído era previamente conhecida, assim como o algoritmo SHA-256 de criptografia.

Como foi possível juntar um conjunto de tecnologias, definir de forma aparentemente aleatória as regras de emissão, e conseguir adesão voluntária de entusiastas? Lembre-se que no início não havia incentivo monetário algum, e assim permaneceu por mais de um ano.

Qual o segredo do Bitcoin?

A grande sacada do Bitcoin foi impossibilitar cópias de ativos digitais, sem a necessidade de uma entidade centralizada atuando como juiz. No entanto, conforme afirmado por algum famoso “depois que a pasta de dentes sai do dentifrício ela, dificilmente, volta". Por este motivo a descoberta de Satoshi de dezenas, e depois milhares de clones, as altcoins.

Este problema, conhecido como gasto duplo, foi resolvido através do blockchain, ou cadeia de blocos de informação. De forma resumida, qualquer proponente pode enviar solicitações de transações, que entram numa fila para aguardar a confirmação dos mineradores. Se houver uma tentativa de gastar o mesmo Bitcoin em duas oportunidades, somente a primeira delas será aceita.

Ou seja, quem atua como juiz, definindo se um determinado endereço é ou não dono de um Bitcoin, é a própria rede. O usuário pode até tentar gastar novamente um Bitcoin, mas sua transação será recusada, pois o registro dos blocos anteriores mostra que este endereço já não é mais dono da moeda.

Quer entender a diferença e relação entre Bitcoin e blockchain? Este outro artigo detalha de forma simples os conceitos de Proof of Work, ou Prova de Trabalho, segurança e transparência da rede.

O que é uma criptomoeda?

Moedas digitais podem ser usadas como meio de pagamento ou investimento, com a grande vantagem de não ser possível censurar ou reverter transações. O termo cripto é utilizado para determinar a utilização da criptografia, os algoritmos responsáveis pelo armazenamento das seeds, ou senhas.

O Bitcoin é uma tecnologia digital que permite realizar transferências de valor de forma rápida, barata, e sem intermediários. Qualquer pessoa pode ingressar na rede, validar transações, realizar transferências, e realizar a própria custódia (guarda) de seus valores.

Nem todas as criptomoedas utilizam o blockchain, esta tecnologia de banco de dados sequenciais do Bitcoin. Da mesma forma, o algoritmo de criptografia escolhido por Satoshi Nakamoto, o SHA-256, é uma tecnologia diferente da utilizada no Ethereum, Litecoin e Monero, por exemplo.

De onde veio a ideia do Bitcoin?

Primeiramente precisamos lembrar que esta invenção surgiu em 2008, ano em que o mundo passava por uma grande crise econômica. Os governos e Bancos Centrais utilizaram dinheiro do povo para salvar bancos, financeiras e grandes corporações, de forma similar ao que estamos presenciando em 2020.

O primeiro bloco minerado no Bitcoin possui uma mensagem emblemática codificada: “The Times, 03/Jan/2009 Reino Unido à beira de um segundo pacote para salvar bancos”. Esta era a manchete do jornal The Times no dia, e reflete um sentimento de incapacidade de lutar contra isso.

o que é Bitcoin

Nada disto era novidade, e de fato era buscado há mais de duas décadas pelos cypherpunks, ativistas em busca de independência e privacidade digital do indivíduo através da criptografia. De fato, foram várias as tentativas (falhas) de lançar uma criptomoeda antes do Bitcoin, dentre as quais destacam-se DigiCash de David Chaum, B-Money de Wei Dai, Bit Gold de Nick Szabo, e Hashcash de Adam Back.

Para que serve o Bitcoin?

O Bitcoin e as criptomoedas surgiram para tirar o poder de emissão de valores das mãos dos governos, enquanto possibilita ao cidadão comum realizar transações de forma independente. As sanções econômicas internacionais passaram a pesar violentamente em cidadãos sem relação com tais conflitos.

Em suma, o que estes cypherpunks buscavam, e aparentemente Satoshi Nakamoto finalmente conseguiu entregar, era a independência econômica do indivíduo. Isto foi possível através de uma moeda digital cujo valor é determinado única e exclusivamente pela livre oferta e demanda. Todos são livres para entrar na rede e participar de igual para igual, sem possibilidade de censura ou intervenção por parte de um pequeno grupo.

Quem define as regras do Bitcoin?

Este indivíduo, ou grupo, denominado Satoshi Nakamoto, escolheu o limite máximo de 21 milhões de moedas, além do corte pela metade na emissão a cada 4 anos, o famoso halving. Efetivamente, estas escolhas aparentemente arbitrárias não fazem grande diferença, pois o valor do Bitcoin está na segurança de que estas regras só vão ser alteradas caso a absoluta maioria assim decida.

Este consenso responsável por definir a manutenção ou mudança das regras já passou por diversos testes importantes. Ao longo dos anos surgiu uma voz defendendo duplicar a capacidade dos blocos de 1 megabyte, alegando que isto criava um gargalo em momentos de grande utilização da rede.

Fork, a criação de uma nova criptomoeda

Em 2017 este grupo dissidente ganhou força, incluindo a vasta maioria dos mineradores, grandes exchanges e custodiantes. Em última instância, os usuários da rede, pessoas comuns, insistiram em não atualizar o software, alegando que a escalabilidade deveria ser buscada de outra forma, utilizando uma segunda camada.

O final da história culminou com o fork, uma cópia independente do registro histórico e sistema operacional com algumas modificações, conhecido como Bitcoin Cash, ou BCash (BCH). Isto provou em definitivo a força da comunidade, além do poder de resistência a ataques, mesmo que bem intencionados.

Quer entender melhor se o Bitcoin é seguro? Este outro artigo detalha o registro de dados no blockchain, como é feita a descentralização, além da resistência à hacks, e o impacto da regulação.

Afinal, o que é mineração?

A mineração de bitcoin é responsável por validar as transações, para em seguida registrá-las no blockchain, este banco de dados público e descentralizado. O registro só é válido se for aprovado pelo consenso da rede, os nós, ou nodes. É este processo que garante a neutralidade, segurança e transparência do sistema.

No início da rede, era possível minerar utilizando um simples notebook. O algoritmo é tão complexo que a única forma de encontrar o hash, o código que encaixa o novo bloco à cadeia anterior, é através de tentativa e erro. Este processo atualmente exige máquinas especificamente desenhadas para esta função, denominadas ASICs.

o que é Bitcoin

Além da taxa paga pelas transações incluídas em cada bloco, este minerador recebe um subsídio de 6,25 Bitcoins, novas moedas emitidas para incentivar este processo. Este número é cortado pela metade a cada 4 anos, através do processo conhecido como halving.

Compensa minerar Bitcoin?

Existe uma competição acirrada entre os mineradores da rede em busca dessa recompensa. Por este motivo, existe um mecanismo automático de ajuste de dificuldade, variando inversamente à capacidade de processamento dos mineradores. Mais gente competindo pela solução do hash dos blocos, maior é a dificuldade, de forma a manter o espaçamento médio de cada bloco em 10 minutos.

Este processo de mineração consome uma grande quantidade de energia elétrica, portanto só é rentável em regiões com baixo custo de eletricidade. Este mercado tradicionalmente é dominado pela China, Rússia, Canadá e Leste Europeu, mas vem ganhando espaço nos Estados Unidos. No Brasil, por conta dos impostos e alto custo tarifário da energia elétrica e de importação de equipamento, a mineração de Bitcoin não vem sendo rentável.

Como investir em Bitcoin?

O Bitcoin permite a livre negociação entre seus usuários, conhecido como p2p, justamente por se tratar de uma rede descentralizada. No entanto, existem inúmeros riscos inerentes às transações de valores entre pessoas. Buscando reduzir riscos, surgiu a figura das exchanges, que funcionam de maneira semelhante às corretoras tradicionais, cobrando taxas em troca deste serviço de intermediação e liquidação.

Para evitar golpes e riscos ao comprar Bitcoin, deve-se ter cuidado ao escolher a exchange para negociação das criptomoedas. O Mercado Bitcoin é a maior corretora de moedas digitais da América Latina, além de ser a única exchange nacional a figurar na seleta lista das 25 mais confiáveis e transparentes do mundo, de acordo com o Blockchain Transparency Institute (BTI).

Aprenda neste vídeo o que são os tokens de consórcio, uma oportunidade de lhe proteger da volatilidade do Bitcoin e criptomoedas.

Como comprar Bitcoin no Mercado Bitcoin?

Para comprar Bitcoin é necessário efetuar uma transferência (TED) para a conta bancária do Mercado Bitcoin, clicando em “Depositar” no site ou aplicativo. É importante ressaltar que são aceitos apenas depósitos oriundos de uma conta bancária com a mesma titularidade na qual foi realizado o registro no Mercado Bitcoin.

Após ter seu depósito validado, deve-se selecionar a criptomoeda desejada na barra lateral, e em seguida clicar em “Comprar e Vender”. Neste momento você poderá definir qual o valor em Reais a ser utilizado na compra, para em seguida efetuar a ordem de compra no botão “Comprar Agora”. O processo através do aplicativo é muito semelhante.

Segue com dúvidas sobre Bitcoin e criptomoedas como investimento? Entre em contato com nossa equipe de suporte. O Mercado Bitcoin encontra-se à disposição para auxiliá-lo em qualquer assunto no universo de criptoativos.

Fique ligado

Ainda não tem conta?

Participe agora da nova economia digital!

Criar conta

Fique por dentro das novidades

Assine nossa newsletter e receba nosso conteúdo assim que sair.