Educação

O Que é Patrimônio? Quais As Formas de Criar Patrimônio?

Criado em 30/12/2021 - Atualizado em 30/12/2021

6 minutos de leitura

O Que é Patrimônio? Quais As Formas de Criar Patrimônio?

Responda rapidamente: o que é patrimônio? Essa palavra está presente no nosso dia a dia, mas pouca gente sabe o seu significado com precisão. Afinal, patrimônio pode ter diferentes definições, seja na contabilidade, na economia ou no direito. É importante ter em mente como os investimentos são afetados pela inflação, para saber como se proteger, e por fim, como aumentar seu patrimônio.

O que é patrimônio, e o que é investimento?

Patrimônio é a soma de todos os bens e direitos, deduzindo as obrigações (dívidas) de uma pessoa ou empresa. Já o investimento é uma parte do patrimônio destinada a aumentar o poder de compra através de renda ou proteção da inflação.

Portanto, constitui o patrimônio:

  • Ativos: bens e direitos da pessoa ou empresa, ou seja, tem valor positivo.
  • Passivos: são as obrigações, portanto, dívidas, a parte negativa do patrimônio.

patrimonio-liquido-pessoal

No exemplo acima, para encontrar o que é patrimônio líquido, deve-se subtrair o total de dívidas (passivos) dos bens e direitos (ativos).

O que pode ser considerado um ativo no patrimônio?

Bens, ou ativos, é tudo aquilo que tem valor monetário e pode ser convertido em dinheiro. São duas as classificações básicas:

  • Tangível: tudo aquilo que pode ser tocado, que tem existência física, como um carro, um apartamento ou dinheiro em espécie.
  • Intangível: bens imateriais, mas que também podem ser convertidos em dinheiro; são patentes, ações de empresas e criptoativos.

Para efeito de cálculo, não há diferença entre o que é patrimônio tangível e intangível.

Como os recebíveis afetam o patrimônio?

Recebíveis, ou direitos, são ativos em posse de terceiros ou que indiretamente podem virar dinheiro. Por exemplo:

  • Duplicatas de vendas a prazo para empresas.
  • Títulos do Tesouro Direto, a dívida emitida pelo governo.
  • Debêntures, Cartas de Consórcio, ou Precatórios.

Portanto, se você tem uma herança aguardando liberação da Justiça, ou um imposto a restituir no próximo ano, isso faz parte do ativo. Em suma, nem tudo que é patrimônio precisa estar necessariamente em caixa no momento da análise.

Como as dívidas entram no patrimônio?

As dívidas, ou obrigações, são todos os compromissos de pagamento, que fazem parte do passivo. Estas Incluem:

  • Saldo do financiamento de automóveis e imóveis.
  • Dívida no cartão de crédito.
  • Linhas de crédito e empréstimos tomados.

Desse modo, toda parcela a vencer de dívidas deve entrar no passivo, reduzindo assim o patrimônio. Lembrando o cálculo do que é patrimônio: bens e ativos deduzidos de obrigações.

Como um imóvel financiado entra no patrimônio?

Até que um imóvel financiado seja totalmente quitado, ele ainda pertence à instituição credora. No entanto, para fins de cálculo do patrimônio líquido, ou seja, o valor de todos os ativos e passivos de uma pessoa ou empresa se fossem liquidados, leva-se em conta apenas o valor já quitado.

Imagine que você comprou um imóvel financiado com valor de R$ 500 mil e possui um saldo a pagar de R$ 200 mil. Nesse caso se assume apenas a parcela previamente paga de R$ 300 mil no cálculo do que é patrimônio.

Como aumentar o patrimônio?

Investimentos com horizonte de longo prazo são o meio mais eficiente de aumentar o que é patrimônio. Isso requer um controle dos gastos, além da constante busca de novas fontes de receita, por menor que seja.

Através do acúmulo de diferentes fluxos de ingresso de capital recorrente, se potencializa o aumento do que é patrimônio.

Muito cuidado com a ganância, pois investimentos especulativos, as aplicações que visam o lucro rápido, podem ser uma armadilha. Acompanhe abaixo dicas importantes de como rentabilizar dinheiro para obter ganhos maiores.

Qual o efeito da inflação no patrimônio?

  • A inflação é o maior inimigo de quem tem o foco no longo prazo.
  • Como o dinheiro está perdendo poder de compra, há incentivo para o gasto imediato.
  • Conforme os governos estouram o orçamento, mais moeda é colocada em circulação, trazendo inflação.
  • Ao calcular o que é patrimônio, deve-se atentar a este efeito de diluição do capital.

Para se proteger da inflação, é essencial buscar formas de rentabilizar seu dinheiro.

Por que Bitcoin protege o patrimônio da inflação?

Investir em Bitcoin é uma excelente estratégia de proteção do seu patrimônio contra a inflação. Suas características únicas o tornam um excelente meio de reserva de valor no longo prazo.

  • Sólida política monetária: a emissão de novos Bitcoins é programada e não pode ser alterada, independente da entrada de novos mineradores.
  • Escassez: somente 21 milhões de unidades vão ser criadas, seguindo um calendário decrescente de emissão.
  • Impossível ser censurado: nenhum governo ou entidade consegue reverter transações, ou mesmo alterar sua política monetária.

Por esses motivos muitos resumem o Bitcoin como “ouro digital”.

O Bitcoin é um investimento puramente especulativo?

Circula um mito que o Bitcoin não é escasso pois pode ser fracionado em pequenas quantias, conhecidas como Satoshis. Entretanto, assim como a pizza abaixo, fatias mais finas não aumentam a quantidade disponível de Bitcoins em circulação.

fracao-bitcoin

Portanto, ao ponderar o que é patrimônio, e o que é investimento especulativo, os críticos do Bitcoin esquecem de considerar a população que vive em países hiperinflacionários.

Criptomoedas também são patrimônio?

Sim. Assim como os investimentos tradicionais, criptomoedas também possuem valor econômico e fazem parte do que entendemos como patrimônio. Bitcoin é legal no Brasil, e reconhecido como um bem virtual, assim como os demais criptoativos.

Além disso, o setor possui regulação própria na Receita Federal, que exige informações sobre as transações, declaração no Imposto de Renda, e pagamento de tributos nas vendas acima de R$ 35 mil por mês.

Lembre-se que impostos e tributos a pagar entram no cálculo do que é patrimônio.

É seguro investir em criptomoedas como patrimônio?

  • A cotação das criptomoedas apresenta uma alta variação, ou volatilidade, característica de um segmento em estágio inicial de adoção.
  • Por se tratar de um investimento em Renda Variável, não existe previsibilidade de retornos.
  • Embora o potencial de lucro seja alto, em alguns momentos seu investimento pode apresentar rentabilidade negativa, impactando diretamente no patrimônio.
  • Existem criptoativos alternativos, oferecendo a previsibilidade da Renda Fixa, porém com maior potencial de retorno.

O Mercado Bitcoin oferece a compra e venda de Tokens de Precatório, Tokens de Consórcio, criptoativos pareados em ouro, entre outros. Sem dúvidas, criptomoedas entram na coluna “bens e direitos" ao analisar o que é patrimônio.

Confira no vídeo abaixo como começar a investir em Bitcoin.

Como definir a alocação de criptomoedas no patrimônio?

Cabe ao investidor definir a alocação ideal em criptoativos, buscando maximizar seu lucro, porém respeitando seu apetite de risco.

  • Para investidores conservadores e moderados não é recomendável uma exposição muito grande em criptomoedas.
  • Criptomoedas são excelentes para montar uma carteira diversificada, evitando assim o impacto negativo por um único fator.
  • Por conta de sua baixa correlação com o mercado tradicional e alto potencial de retorno, mesmo uma alocação de 5% ou 10% em criptomoedas traz benefícios.

No Mercado Bitcoin você pode investir no Bitcoin e em outros 40 ativos digitais de forma simples pelo site ou aplicativo para Android e iOS. Agora que você entendeu o que é patrimônio e como se proteger da inflação, não perca essa oportunidade.

Fique ligado

Ainda não tem conta?

Participe agora da nova economia digital!

Criar conta

Fique por dentro das novidades

Assine nossa newsletter e receba nosso conteúdo assim que sair.