Rentabilidade: O Que é e Como Aplicar nas Criptomoedas?

14/01/2022

10 minutos de leitura

Rentabilidade: O Que é e Como Aplicar nas Criptomoedas?

Quando se fala em investimento, um dos principais indicadores para medir o lucro é a rentabilidade. Este indicador pode ser utilizado para comparar diferentes ativos, seja para acompanhar seu impacto na carteira ou para decidir a alocação de novos aportes.

Se você ainda tem dúvidas sobre como calcular a rentabilidade, não se preocupe. Neste artigo você vai entender para que serve esta métrica, e como é aplicada no mercado de criptomoedas.

O que é rentabilidade?

Rentabilidade é o percentual da variação de um ativo ao longo do tempo, podendo ser tanto positiva (lucro), quanto negativa (prejuízo).

o-que-e-rentabilidade

Há uma “pegadinha” nesse cálculo, pois ao analisar a carteira de investimentos, esquecemos de colocar na conta os custos envolvidos na operação. Em alguns casos, pode até mesmo tornar um negócio aparentemente lucrativo em uma perda de capital.

  • Rentabilidade nominal (ou bruta): variação nominal do investimento, sem considerar taxas, impostos e custos; diferença do valor entre o aporte e resgate do investimento.
  • Rentabilidade líquida: é descontada da variação nominal a inflação, além dos encargos e impostos; é um cálculo mais preciso, porém muitas vezes ignorado.

Como calcular a rentabilidade em 2021?

O investidor deve considerar no cálculo da rentabilidade líquida a inflação, especialmente no ano de 2021, pois a inflação projetada para o ano é de 10%. Este indicador é calculado pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), e divulgado mensalmente.

Portanto, o investidor que deseja preservar seu capital, ou até mesmo aumentar seu patrimônio, deve descontar esse percentual de sua rentabilidade bruta. Além disso, cada classe de investimento possui sua própria faixa de tributação. Para os criptoativos, por exemplo, são isentas as vendas mensais de até R$ 35 mil.

No vídeo abaixo a equipe da @usecripto mostra algumas formas para ganhar dinheiro com criptomoedas.

Rentabilidade na Renda fixa

Produtos de renda fixa têm uma taxa de rentabilidade pré-determinada, seja ela um número fixo ou atrelado a algum indicador. São exemplos desta classe de investimento:

  • Tesouro Selic: títulos de dívida pública, emitidos pelo Governo Federal, considerados os ativos mais seguros do mercado.
  • CDB - Certificado de depósito bancário: títulos emitidos por bancos e financeiras, porém com garantia de até R$ 250 mil por CPF em cada instituição.
  • Fundos DI: fundos de investimento que investem pelo menos 95% do capital em títulos atrelados à taxa Selic ou CDI.

Quando você compra um instrumento de renda fixa, você já sabe a taxa que seu dinheiro vai render se carregar o investimento até seu vencimento. Cabe alertar que o resgate antes do prazo em determinados títulos pode causar uma rentabilidade negativa.

Rentabilidade na Renda Variável

Na renda variável, como o mercado acionário ou de criptomoedas, não há rentabilidade garantida. Ações e criptoativos têm seu preço determinado pela oferta e procura do mercado, sendo impossível prever o desempenho do ativo ao longo do tempo.

  • De modo geral, a rentabilidade esperada de ativos de renda variável costuma ser mais alta comparada a renda fixa.
  • Renda Variável possui maior risco, portanto maior variação nas cotações.
  • Existe uma relação entre Risco e Retorno, sendo impossível encontrar alta rentabilidade sem riscos e com liquidez imediata, ou seja, sem carência.

Rentabilidade e retorno são a mesma coisa?

Apesar de estarem intimamente ligados, rentabilidade e retorno (ou rendimento) não são a mesma coisa.

  • Rendimento: valor que o investidor receberá no momento do resgate.
  • Rentabilidade: percentual de variação entre o valor final e o aporte inicial.

Por exemplo, se você faz um investimento de R$ 5.000 e tem R$ 6.000 no momento do resgate:

rentabilidade-vs-retorno

Como calcular a rentabilidade das criptomoedas?

O cálculo de rentabilidade nas criptomoedas segue a mesma lógica mencionada acima. Primeiro é preciso encontrar o retorno, subtraindo o valor do investimento no momento da venda do montante inicial.

com-calcular-rentabilidade

Em seguida, deve-se dividir esse retorno pelo aporte inicial, para enfim encontrar a rentabilidade. O Mercado Bitcoin possui algumas parcerias com serviços para acompanhamento da carteira que fazem esse cálculo de forma automatizada. Conheça agora o Gorila, aplicativo que acompanha o desempenho de criptoativos, fundos de investimento e ações.

Quais as criptomoedas mais rentáveis em 2021?

2021 definitivamente foi o ano dos games e metaverso se analisarmos os 100 criptoativos em capitalização de mercado. Encontramos alguns projetos com rentabilidade impressionantes entre o início de 2021 e 7 de dezembro de 2021, segundo o site Nomics:

criptomoedas-mais-rentaveis

Quais criptomoedas são mais promissoras?

As principais apostas para 2022 ainda recaem sobre os criptoativos (tokens) ligados aos games e ao metaverso. Isso inclui sucessos Axie Infinity (AXIE), Enjin Coin (ENJ), e Decentraland (MANA), que devem continuar avançando conforme entregam novidades e ganham novos usuários. Você encontra esses criptoativos disponíveis para negociação no Mercado Bitcoin, além de 40 outros.

São inúmeras as criptomoedas promissoras, pois o segmento de aplicações financeiras descentralizadas (DeFi) continua crescendo com força. Conforme os projetos encontram mais casos de uso, conquistam não só os investidores de varejo, mas também os grandes institucionais.

Dá para ganhar rendimento garantido em criptos?

Criptomoedas são ativos de renda variável, portanto é impossível garantir um rendimento. Desconfie de qualquer pessoa ou empresa que ofereça retorno garantido, pois é impossível prever os movimentos do mercado.

Porém, determinados criptoativos, como os tokens de consórcio, são uma boa alternativa à renda fixa tradicional e oferecem rentabilidade determinada:

  • Representam ativos reais digitalizados através do processo de tokenização.
  • São parcelas de cotas de consórcio já contempladas, e contam com liquidações parciais no decorrer do prazo.
  • Retorno anualizado de até 12% para quem carregar o ativo do lançamento à data de vencimento.
  • Aporte mínimo de R$ 100, portanto um produto democrático e acessível.

Diversificar a carteira ajuda na rentabilidade?

Por mais que a rentabilidade dos criptoativos seja muito acima do mercado tradicional, é muito arriscado se expor apenas a um ativo. Portanto, diversificação é chave para uma gestão de risco eficiente.

  • Ao variar classes de ativos com diferentes teses de investimento você diminui as perdas em momentos de maior estresse no mercado.
  • Um portfólio resiliente depende da exposição a diversas classes de ativos.
  • Selecione investimentos que se movimentam de forma não correlacionada, reduzindo suas chances de perda.
  • Bitcoin e criptomoedas, historicamente, apresentam baixa correlação com o mercado tradicional, portanto excelentes para diversificação.

Lembre-se do ditado: “não coloque todos os ovos na mesma cesta.” Essa é uma forma de evitar episódios inesperados que atingem o mercado tradicional, garantindo assim uma maior rentabilidade a longo prazo.

Fique ligado

Ainda não tem conta?

Participe agora da nova economia digital!

Criar conta

Fique por dentro das novidades

Assine nossa newsletter e receba nosso conteúdo assim que sair.