Token

O que é token? Conheça o criptoativo além do dinheiro digital

Criado em 29/06/2022 - Atualizado em 09/05/2022

10 minutos de leitura

O que é token? Conheça o criptoativo além do dinheiro digital

O que é token? Conheça essa classe de ativos digitais

Você provavelmente já ouviu falar sobre o Bitcoin, a mais antiga e famosa moeda digital. Esta inovação tecnológica possibilitou a criação de um mercado, os ativos virtuais, ou tokens. Mas afinal, o que é token, e qual a sua relação com as criptomoedas? Na tradução literal, token é um código ou sinal, usualmente no formato físico. Por exemplo, no Brasil a chave de dois fatores (2FA) físico dos bancos ficou conhecido como token de acesso.

token-fisico%20%281%29

  • Nas finanças digitais, o token é um ativo que só existe no meio eletrônico.
  • Cada token possui uma identificação exclusiva, portanto, não pode ser clonado ou falsificado.
  • Os vale-compras digitais são exemplos dessa aplicação: V-Bucks do jogo Fortnite, créditos do aplicativo Uber, ou um vale-presente da Apple.

Embora existam versões “físicas” desses cartões vale-compras, o token é efetivamente o código único de identificação, usualmente uma sequência de letras e números. Da mesma maneira que o código do vale-presente é trocado pelo item ou serviço, o token pode ser destruído, no processo conhecido como “burn”, ou queima. Embora não seja obrigatório, mostra a possibilidade de escassez, mesmo no universo digital.

Qual o problema dos tokens?

Vamos tomar um caso simples, a pontuação de um programa de fidelidade. Mesmo que este envolva diversas empresas, existe uma entidade responsável por controlar a emissão e gastos desses tokens. O controlador desses tokens consegue mudar as regras sem necessidade de aprovação dos usuários, colocando restrições ou taxas nas transações, ou até mesmo aumentando o total circulante.

Como o Bitcoin resolveu o problema dos tokens?

O Bitcoin, a criptomoeda criada em 2009, é um token, porém, com características que o tornam especial e valioso. Parte disso se dá pela segurança da tecnologia blockchain, o registro digital público das transações.

Sem esse banco de dados blockchain, o token teria pouco valor, pois ficaria dependente do controle de uma única entidade.

Qual a vantagem do blockchain para os tokens?

Ao distribuir esse poder entre a base de usuários, a tecnologia blockchain trouxe alguns benefícios para os tokens:

  • Seu registro histórico é público e transparente, portanto, auditável.
  • Qualquer pessoa pode validar as transações, portanto, não existe uma entidade ou grupo controlando o token.
  • Os tokens podem ser livremente movimentados, sem necessidade de um intermediador.
  • As regras de utilização, incluindo limite de emissão, só podem ser alteradas se houver acordo (consenso) entre os usuários.

O Bitcoin foi o primeiro token a incorporar o banco de dados público blockchain. Foi esta tecnologia que deu origem aos criptoativos, os tokens que utilizam o banco de dados blockchain.

Qual a diferença entre token e criptoativo?

  • Token: ativo que só existe no meio eletrônico.
  • Criptoativo: token com registro no banco de dados compartilhado.

No início, essa tecnologia era utilizada apenas para as moedas digitais, e dentre as mais antigas estão: Bitcoin, Litecoin, Dogecoin, e Namecoin. Sua função era “básica”, envolvendo apenas o envio desses ativos virtuais entre os usuários. É importante notar que essas moedas digitais, ou criptomoedas, possuem sua própria rede. Ou seja, existe um grupo de pessoas rodando o software em suas máquinas, responsáveis por validar as transações e armazenar o histórico de transações.

Todo criptoativo é uma criptomoeda?

Não. Aos poucos, a tecnologia evoluiu, permitindo que novos tokens fossem lançados aproveitando o banco de dados público (blockchain) das criptomoedas previamente estabelecidas. Por exemplo, imagine que a IBM possui uma rede de servidores espalhados pelo mundo. Seria o equivalente a essa gigante da tecnologia cobrar pelo uso da rede, obrigando os usuários a pagar pelo serviço de registro das operações. Quem popularizou esse processo no universo dos ativos digitais foi a Ethereum, uma criptomoeda criada em 2015 por um jovem Russo-Canadense. Dessa maneira:

  • Criptomoeda: um token especial, um criptoativo com seu banco de dados blockchain próprio.
  • Criptoativo: token cujo registro de transações depende do registro no blockchain de uma criptomoeda estabelecida.

rede-bitcoin

O que diferencia os tokens?

Esta tecnologia pode ser utilizada para diversos fins, podendo ou não representar um ativo real, físico. Por exemplo, o Litecoin (LTC) existe apenas no mundo virtual, sem um lastro, ou garantia. Na ponta oposta temos o PAX Gold (PAXG), um token cuja empresa emissora, Paxos, garante um depósito de 28,35 gramas de ouro para cada moeda emitida. Ou seja, o token PAXG é uma representação digital dessa quantia física de ouro.

Como são criados os tokens?

O criptoativo, ou token utilizando blockchain, é apenas um registro no banco de dados público. Em resumo, é um código de programa onde são armazenadas as informações da quantidade de tokens em circulação, e seus donos.

  • Alguns tokens possuem empresas responsáveis por sua manutenção, porém isso não é obrigatório.
  • As corretoras (exchanges) são livres para escolher quais tokens desejam disponibilizar para negociação.
  • O preço dos tokens é determinado única e exclusivamente pelos interessados na negociação em cada corretora.

Para que servem os tokens?

Qualquer token pode ser utilizado para pagamentos e remessas. Isso é uma característica de ativos digitais registrados no blockchain, o banco de dados público das criptomoedas. No entanto, existem tokens criados com propósitos específicos, por exemplo:

  • Smooth Love Potion (SLP): necessário para criar “filhotes” dos monstros no jogo Axie Infinity.
  • Chainlink (LINK): exigido como depósito de garantia do sistema Chainlink para garantir a honestidade dos provedores de informações.
  • Uniswap (UNI): participação na governança (voto) da corretora descentralizada Uniswap.
  • Fan token do Barcelona (BAR): ativo digital da plataforma Socios.com que dá direito a descontos e serviços exclusivos junto ao clube de futebol.

Nenhum desses tokens possui como função principal a troca por serviços, bens ou dinheiro, porém sua comercialização é livre. Ou seja, as pessoas podem transacionar esses itens digitais como e quando quiserem, mesmo fora das corretoras (exchanges).

Confira no vídeo abaixo mais alguns exemplos de utilização dessa tecnologia:

Como investir em tokens além do Bitcoin?

Você pode comprar tokens no Mercado Bitcoin, a maior corretora de criptomoedas da América Latina:

  • Oferecemos mais de 150 ativos digitais diferentes em nosso site e aplicativos Android e iOS.
  • Contamos com um histórico de 9 anos de funcionamento sem registro de hacks ou vazamentos.
  • Nosso depósito inicial mínimo é de apenas R$ 50, e você pode investir a partir de R$ 1 na maioria dos tokens.
  • Temos taxa zero para saques em reais; você aproveita as oscilações de mercado e manda dinheiro para sua conta de banco sem custo.

Fique ligado

Ainda não tem conta?

Participe agora da nova economia digital!

Criar conta

Fique por dentro das novidades

Assine nossa newsletter e receba nosso conteúdo assim que sair.