Privacidade através da criptografia: necessidade dos tempos atuais

Embora descuidada por grande parte das pessoas, a privacidade, especialmente no meio digital, vem ganhando importância, especialmente após casos de vazamento de informação. A criptografia é o principal mecanismo de defesa utilizado na proteção de dados, porém alguns cuidados precisam ser tomados.

Quando se fala em criptografia e privacidade digital, muitos afirmam que “só quem tem algo a esconder deve se preocupar”. Você gostaria de ver o conteúdo de seus e-mails, ou conversas de Whatsapp, livremente publicados na internet? Ou mesmo seu endereço, CPF, data de nascimento, e dados bancários?

Por este motivo a privacidade através da criptografia se tornou tão relevante, já que somos obrigados a prover estas informações para realizar compras online, abrir contas de banco, e até mesmo ao utilizar meios digitais de comunicação.

O Mercado Bitcoin lhe ajuda a entender a importância da privacidade digital, o uso da criptografia, e de forma prática, vamos abordar os mecanismos de segurança digital.

Quem precisa de proteção de dados?

Você provavelmente não guarda segredos militares em seus e-mails, celular, ou arquivos na nuvem. Tampouco está preocupado quando realiza uma compra nesses sites de e-commerce ou os milhares de apps de Uber, Netflix, Ifood e afins. Afinal, que mal poderia ocorrer se algum destes dados se tornasse público?

Todos os dias milhares de brasileiros caem no golpe do Whatsapp, quando entregam o código de recuperação para um golpista que sabe se disfarçar muito bem de funcionário de algum site ou empresa. Eles criam perfis nas redes sociais muito semelhantes, contas de e-mails com nomes parecidos, e no final, o usuário acaba, sem perceber, dando acesso ao atacante.

Esta pessoa que teve sua conta hackeada pode dar sorte, e o atacante utilizar apenas para pedir dinheiro para amigos e familiares, ou fazer pedidos utilizando os cartões de crédito salvos em sites e lojas. Na maioria das vezes isto é fácil de resolver, ou pode ser estornado. E quando o atacante consegue acesso às suas pastas de trabalho, senhas de banco, ou dados sensíveis?

Pois é, acessando seu Whatsapp, eventualmente o atacante consegue seus dados bancários, ou encontra uma conversa com sua senha do cartão, ou pior, login e senha do servidor de sua empresa, e aí, quando menos se espera, o pior acontece. A verdade é que todos precisamos de privacidade digital, e especialmente, segurança da informação.

Quer aprender a não cair neste ataque, que é conhecido como phishing? Este outro artigo explica como proteger de forma correta suas contas bancárias, uso de redes sem fio (WiFi) públicas, mecanismos de firewall e antivírus, e do próprio acesso à sua conta no Mercado Bitcoin.

Nova regulação LGPD

Na União Européia, desde 2016 foi implementada o Regulamento Geral de Proteção de Dados (GDPR), buscando evitar novas tragédias como o vazamento do Facebook no caso Cambridge Analytica. A lei busca garantir alguns direitos aos usuários sobre seus próprios dados, proibindo coleta e revenda sem devida autorização.

No Brasil, deve entrar em vigor no início de 2021 a Lei Geral de Proteção de Dados (LGPD), que atua de maneira similar à GDPR européia. Para fiscalizar e efetivamente multar empresas infratoras, foi criada uma agência regulatória, a ANPD. A pandemia do vírus acabou atrasando essa implementação, porém as empresas vão ser penalizadas caso descumpram tais normas.

Quer ver quais tecnologias conferem ao Mercado Bitcoin nota máxima nos mais rigorosos testes de segurança da informação? Saiba aqui para acompanhar.

Como funciona a criptografia?

Criptografia não é novidade, nem tampouco advento do Bitcoin e das criptomoedas. Criptografar significa codificar através de algoritmos dificultando a leitura por outras pessoas. O receptor da informação só será capaz de quebrar este código utilizando uma fórmula, que foi definida pelo algoritmo de codificação.

como funciona a criptografia

O exemplo acima é um algoritmo bem simples de criptografia. As letras da palavra “hello” são codificadas na forma “uryyb”. Com este quadro de equivalência em mãos, o receptor da informação é facilmente capaz de decifrar a mensagem.

Este é um modelo extremamente simplificado e, mais importante, simétrica. Uma vez que alguém descobre o código, conseguirá desvendar qualquer mensagem. No caso da criptografia utilizada nos criptoativos, o receptor de uma transação não consegue desvendar a chave privada do emissor.

Segurança de dados e blockchain

A principal característica do blockchain, quando se trata de uso público, é a transparência. Qualquer usuário consegue auditar os dados históricos, sem precisar de autorização, por conta própria. Por este motivo, esconder algo no blockchain é impossível. Desta forma, a criptografia é segurança de dados é crucial para o funcionamento da tecnologia.

Cada endereço do blockchain possui uma chave pública e outra privada, que jamais deve ser compartilhada. Pense na chave pública como sua conta bancária: com esse número você pode enviar e receber criptomoedas na rede. Já a chave privada atua como uma senha de banco, garantido que só seu detentor consiga realizar transferências a partir deste endereço.

Os dados do detentor de cada endereço na rede blockchain não circulam em nenhum local, tornando absolutamente privativo e confidencial tal informação.

Ainda está na dúvida se o Bitcoin é seguro? Acompanhe aqui como essa criptomoeda é protegida, e como investir com segurança.

Outras aplicações da criptografia

Quando utilizamos os servidores de um banco, seja na utilização via web ou aplicativo, existe um mecanismo de criptografia para verificar se a senha informada pelo usuário está correta. Esta informação não pode transitar livremente na internet, e para isso é utilizado o ícone do cadeado de segurança na barra de endereço do seu navegador.

outras aplicações da criptografia

Ao clicar neste ícone, você terá acesso aos dados do emissor deste certificado, garantindo que os dados informados nesta página são criptografados. Esta mesma segurança através da criptografia é utilizado para proteger dados armazenados na nuvem (cloud), arquivos e dados em servidores, e-mails, e qualquer informação digital sigilosa.

Desta forma, a criptografia está presente em nossas vidas, mesmo quando não percebemos. Cabe ao usuário tomar as medidas preventivas de segurança digital para evitar fornecer senhas e acessos aos atacantes.

Quer aprender ainda mais sobre investimentos digitais e segurança digital? Fique ligado em nosso blog para continuar recebendo em seu e-mail as novidades e dicas de investimento de nossos especialistas.

Post anteriorPróximo post