Educação

Quais são os benefícios do full node de Bitcoin?

12/02/2021

8 minutos de leitura

Quais são os benefícios do full node de Bitcoin?

Full node pode parecer um termo extremamente técnico e complicado, porém é apenas um computador rodando o software do Bitcoin. De fato, é bem similar a baixar um filme no Torrent, os programas para compartilhar arquivos.

Calma, mesmo que você não tenha conhecimento algum de informática, dá para entender a importância de um full node através das antenas de celular. Sabe essas torres espalhadas pela cidade? São repetidoras de sinais entre seu aparelho e a central telefônica.

Em resumo, o full node registra e valida toda a informação que transita na rede Bitcoin. Nesse sentido, a informação que não está de acordo com as regras é rejeitada. De maneira semelhante, cada operadora de celular possui uma frequência de sinal.

No caso do Bitcoin, existe ainda a figura do minerador, responsável por “empacotar” a informação em blocos. Isto foi criado para assegurar que todos os participantes da rede fiquem sincronizados. Caso contrário, uma distância maior, ou atraso na conexão, poderia trazer diferenças na base de dados entre os usuários.

Quer entender como cada usuário da rede Bitcoin ajuda na sua proteção? Acompanhe conosco!

O que é um full node?

A tradução literal de full node seria nó completo, ou seja, um participante de uma rede p2p (ponto-a-ponto) capaz de verificar por conta própria o registro histórico. Este software pode ser executado em um notebook, computador, raspberry pi, ou até mesmo em um celular.

Em suma, existem diferentes versões do programa, disponíveis para Windows, Mac OS e Linux. Nesse sentido, a mais utilizada é o Bitcoin Core, disponível gratuitamente no GitHub, embora existam outras como Bitcore e btcd.

Cabe lembrar que o arquivo completo com os mais de 10 anos de transações já ultrapassa os 315 gigas. Portanto, é necessária uma boa conexão de internet, além da capacidade de armazenamento. Desse modo, a primeira vez que o programa é executado pode levar até uma semana, dependendo da configuração.

Embora seja interessante manter o registro histórico completo, é possível apagar informações mais antigas, reduzindo o tamanho do arquivo para 2 gigas, ou até menos. Nesse caso há um debate sobre este método ser ou não considerado um full node. De qualquer modo, é uma saída para quem não dispõe deste espaço em disco.

É indispensável escolher um parceiro que preze pela segurança ao comprar e vender Bitcoin, por isso a Mercado Bitcoin conta com uma área exclusiva de compliance, responsável por averiguar processos e normas.

Para que serve o full node?

Muitos se perguntam qual a necessidade do full node, já que ele depende dos mineradores enviarem os blocos contendo as transações. Esta é uma questão fundamental das criptomoedas, pois o objetivo final é não depender de terceiros, intermediários, ou similares.

Primeiramente, o node é um transmissor de informação. Dessa forma, quanto mais entidades ativas, mais segura e confiável é a rede. Cada bloco do Bitcoin é minerado (confirmado) a cada 10 minutos em média, por isso a velocidade não é tão crucial.

Em seguida, se você deseja averiguar suas confirmações e saldos de forma independente, esta é a única forma. Ao contrário do Ethereum (ETH), por exemplo, no qual cada endereço possui um saldo de tokens, no Bitcoin é necessário rastrear o histórico de cada moeda desde sua criação.

Este é um dos motivos que a rede Ethereum possui 1.500 gigas, ante os 315 do Bitcoin, apesar de ter surgido mais de 6 anos depois. Em suma, o full node garante que os mineradores estão seguindo as regras do consenso, e que seu saldo é válido e reconhecido pelos demais.

No vídeo abaixo a equipe da @usecripto explica como manter suas criptomoedas seguras e protegidas.

O que o programa faz efetivamente?

Inicialmente, o software do Bitcoin precisa se conectar à internet, buscando outros nodes para solicitar o registro histórico. Em seguida, recebe informações dos demais participantes da rede, reduzindo o risco de dados corrompidos ou manipulados.

Paralelamente, cada bloco da sequência é verificado, desde o momento que cada moeda foi minerada. Portanto, o usuário do full node assegura que não há gasto duplo, ou seja, uma única moeda enviada para dois endereços.

Diante disso, o usuário consegue verificar a qualquer momento o total de criptomoedas emitida, além do endereço que controla cada Bitcoin. Por isso, ao receber uma transação, o usuário com um full node consegue ter certeza que o valor efetivamente entrou em sua carteira (wallet).

Em suma, o usuário deste programa torna-se efetivamente independente na validação das transações e regras de consenso da rede. Ou seja, mesmo que os mineradores tentem atuar em benefício próprio, os donos dos full node é que tem a palavra final.

Quer se aprofundar no universo de criptoativos e blockchain? Siga essa dica com os 7 livros mais importantes do setor.

Qual a diferença para o minerador?

O processo de mineração é responsável por validar as transações, para em seguida registrá-las no blockchain, este banco de dados público e descentralizado.

Para se minerar é preciso executar um programa que demanda uma capacidade de processamento mais elevada, portanto consome muita energia. De forma resumida, o minerador precisa encontrar um código (hash) que conecta o bloco atual à sequência da rede blockchain.

Deste modo, o minerador não precisa do registro histórico completo para realizar a tarefa. A informação necessária é o código (hash) atual da rede, além das informações sobre o bloco atual que está sendo minerado.

Cabe lembrar que a dificuldade de mineração do Bitcoin cresce com a competição. Por isso, atualmente são necessários equipamentos especificamente desenvolvidos para esta função, os ASICs.

Acompanhe este outro artigo sobre a importância da mineração de Bitcoin.

Passo a passo para rodar um full node

Tendo em mãos um computador, notebook ou dispositivo com no mínimo 2 gigas de memória RAM e uma boa conexão com a internet, o primeiro passo é baixar o programa Bitcoin Core.

Após instalar o aplicativo, será perguntado qual o disco e diretório onde deseja salvar os dados. Certifique-se de que há ao menos 2 gigas livres, e em seguida confirme a instalação.

Caso a tela abaixo apareça, não se desespere. O anti-vírus quer assegurar que a conexão do programa Bitcoin Core com a internet está autorizada.

Ademais, se você utiliza alguma proteção adicional de firewall, lembre-se de autorizar o acesso do Bitcoin Core à porta 8333.

Por último, caso queira limitar o tamanho do arquivo, é preciso clicar em ‘Definições’ e ‘Opções’, para em seguida selecionar o ‘prune’ (corte) em 2 gigas.

Agora que você já entendeu com o Mercado Bitcoin a importância do full node, siga nossas dicas no Youtube e acompanhe as novidades do mercado de criptomoedas.

Fique ligado

Ainda não tem conta?

Participe agora da nova economia digital!

Criar conta

Fique por dentro das novidades

Assine nossa newsletter e receba nosso conteúdo assim que sair.