Educação

Quer saber como funciona a mineração de bitcoin? Veja aqui!

22/12/2020

5 minutos de leitura

Quer saber como funciona a mineração de bitcoin? Veja aqui!

Minerar bitcoin pode parecer uma tarefa física, mas, na realidade, são computadores buscando soluções para equações matemáticas. Dessa maneira, a mineração é o processo no qual são validadas e registradas as transações do Bitcoin sem um controle central.

Os mineradores prestam um serviço para os usuários da rede Bitcoin. Em resumo, isto requer o uso de equipamentos especializados, que são caros, além de muita energia elétrica. Por isso, os mineradores recebem bitcoins recém criados como recompensa.

Ou seja, não é verdade que os mineradores controlam a rede. Dessa forma, se os mineradores não seguirem as regras impostas pelos usuários, seus blocos são invalidados, causando a perda da recompensa.

O que é a mineração de bitcoins?

A mineração de bitcoins é uma competição para encontrar a resposta de uma equação matemática complexa. Em vista disso, o trabalho dos mineradores garante que as transações da rede sejam ordenadas cronologicamente.

As transações de Bitcoin ocupam espaço no bloco na rede blockchain, este banco de dados sem controle central, que funciona como um livro contábil. Portanto, cada bloco funciona como uma página neste livro. Dessa forma, todos os usuários podem manter uma cópia dos registros feitos pelos mineradores, e validá-las por conta própria.

Além disso, um novo bloco é minerado a cada 10 minutos aproximadamente. O minerador precisa encontrar a solução de um complexo cálculo matemático para encaixar este novo bloco na rede. A resolução desse cálculo é chamada de Prova de Trabalho (Proof of Work).

Os cálculos envolvidos para a Prova de Trabalho são tão complexos que só é possível resolver na base da tentativa e erro. Isso mesmo, uma loteria, na qual tem mais bilhetes quem tem maior capacidade de processamento.

Ficou confuso? Calma, o vídeo abaixo explica o que é blockchain, além do mecanismo por trás das transações de Bitcoin.

Para que serve a mineração?

Primeiramente é preciso entender que o Bitcoin é uma moeda digital sem controle central, ou seja, descentralizada. O problema que impedia a existência de uma moeda virtual é o “gasto duplo”, isto é, cópias de arquivos digitais.

Afinal, como evitar que um único bitcoin seja enviado simultaneamente para pessoas diferentes? A resposta veio com o blockchain, além da Prova de Trabalho. Em vista disso, as transações são registradas publicamente dentro de blocos, que por sua vez são encadeados entre si.

Em resumo, a resposta da solução matemática (hash) dos mineradores garante o ordenamento sequencial dos blocos. Nesse sentido, cada bloco possui um hash único, que depende do bloco anterior. Desta maneira, é impossível burlar a sequência da informação, garantindo que os blocos estão ordenados cronologicamente.

A mineração serve inclusive para assegurar a distribuição de novos bitcoins de forma justa. Por se tratar de um sorteio, todos têm iguais chances de competir pela recompensa dos blocos. Além disso, o minerador, quando valida uma transação, recebe as taxas pagas pelos usuários.

Como funciona a mineração?

Para minerar, é necessário organizar o bloco de transações, e em seguida encontrar a solução para a Prova de Trabalho. Diferentes mineradores competem por um mesmo bloco, mas apenas o primeiro a encontrar a solução da equação conseguirá fazer o registro no blockchain.

Esse cálculo matemático terá como resultado o hash do bloco. Este processo é um algoritmo que codifica uma quantidade variável de informação em uma sequência fixa de caracteres. No caso do Bitcoin, a função usada é a SHA256, que gera um hash de 64 caracteres.

Caso seja feita qualquer pequena alteração nas informações contidas nos blocos, esse hash gerado será completamente diferente. Além disso, todo novo bloco inclui o hash do bloco anterior, assegurando o sequenciamento da informação.

Neste momento, cada usuário, chamado de nó (node), pode validar se o trabalho foi realizado corretamente.

A dificuldade da mineração

De modo simplificado, o protocolo Bitcoin exige que o hash encontrado seja iniciado com um determinado número de zeros. Imagine um sorteio através de dados comuns de 6 lados. Neste caso, seria exigido do ganhador iniciar uma sequência de rodadas consecutivas sorteando o número 1.

Para aumentar a dificuldade, basta o sistema exigir um número maior de zeros (no caso dos dados, número 1) no início.

A mineração de um bloco foi desenhada para ser complexa e custosa, dificultando assim o trabalho para reescrever o histórico de transações.

Como minerar bitcoins?

A mineração é feita utilizando hardwares específicos, muito potentes, chamados de ASIC. As máquinas ficam ligadas o dia inteiro, verificando transações, montando o bloco, e tentando encontrar a solução do hash.

A dificuldade da mineração aumenta quanto maior o poder das máquinas (hashrate) investido na rede. Ou seja, quanto maior a competição, maior a dificuldade. No início da rede, era possível minerar com um simples notebook, ou placas de vídeo de PC.

Os grandes mineradores possuem enormes galpões (data centers) repletos de máquinas ASIC. Em geral, esses data centers estão localizados em locais com grande disponibilidade de energia elétrica, além de clima frio. Os processadores ASIC consomem muita energia, além de necessitar constante resfriamento.

Compensa minerar no Brasil?

As grandes empresas de mineração possuem contratos industriais de energia com preços muito baixos. No Brasil, além do custo adicional da refrigeração, a tarifa da eletricidade é muito alta. Deste modo, minerar qualquer criptomoeda no Brasil dificilmente compensa.

Vale lembrar que o investimento em mineração é elevado. Além disso, é um negócio com risco, uma vez que não há previsibilidade na remuneração. Lembrando que a recompensa do minerador é paga em criptomoedas.

Mineração em nuvem vale a pena?

Muitas empresas utilizam do desconhecimento das pessoas sobre mineração para aplicar golpes. Fuja das empresas que dizem fazer “mineração na nuvem”. Há inclusive casos de empresas que alugam mineradoras de verdade somente para fotos, ou para realizar visitas em grupos no local. Deste modo, conseguem apresentar operações grandes e saudáveis. No entanto, tudo não passa de uma farsa.

Quer aprender ainda mais sobre Bitcoin e criptoativos? Inscreva-se em nossa newsletter para receber novidades e dicas de investimento de nossos especialistas em seu e-mail.

Fique ligado

Ainda não tem conta?

Participe agora da nova economia digital!

Criar conta

Fique por dentro das novidades

Assine nossa newsletter e receba nosso conteúdo assim que sair.