Educação

Satoshi Nakamoto: Quem Ele é e Como Ele Criou o Bitcoin

05/08/2021

5 minutos 30 segundos de leitura

Satoshi Nakamoto: Quem Ele é e Como Ele Criou o Bitcoin

Essa figura anônima uniu conceitos de criptografia, redes e teoria dos jogos para criar a criptomoeda mais valiosa do mundo.

Por que usar um apelido para criar um projeto desconhecido e sem valor monetário envolvido? Satoshi Nakamoto, a pessoa, ou grupo, que criou o Bitcoin, optou pelo anonimato, e fez questão de desaparecer por completo em abril de 2011.

Afinal, se todas as tecnologias utilizadas no Bitcoin já existiam, o que de fato Satoshi Nakamoto inventou? Dono de uma suposta fortuna de quase 40 bilhões de dólares, sua história, e, principalmente, seu paradeiro, despertam a curiosidade de todos.

Satoshi Nakamoto

Acima temos alguns dos mais “cotados” para o cargo de Satoshi Nakamoto, segundo estudiosos. A lista inclui Hal Finney, Nick Szabo, Wei Dai, e até mesmo Dorian Satoshi Nakamoto, que apesar de ser um físico especializado em tecnologia da informação para serviços financeiros, sempre negou qualquer envolvimento.

Afinal, quem é Satoshi Nakamoto?

Há fortes indícios que mais de uma pessoa participou do projeto, por isso, apontar um único criador é complicado. Hal Finney, por exemplo, recebeu a primeira transação de Bitcoin. Além de ser um dos CypherPunks, um grupo de ativistas digitais, era desenvolvedor e funcionário da PGP, uma empresa de criptografia.

Curiosamente, Hal encerrou suas atividades na PGP em 2011, mesmo ano do “desaparecimento” de Satoshi. Outro ponto que pesa é ter criado a “Prova de Trabalho reutilizável”, justamente o método utilizado pelo Bitcoin para validar o registro das informações, o blockchain.

Outra figura muito atuante na área é Nick Szabo, cientista da computação e bacharel em Direito. Seu trabalho na moeda digital “bit gold” é citado no whitepaper, onde Satoshi Nakamoto descreve o projeto.

smart contract

Embora o projeto de Szabo nunca tenha saído do papel, a ideia contava com soluções criptográficas armazenadas de forma sequencial em livro-registro. Não bastasse tamanha coincidência com o atual Bitcoin, Nick foi o criador do conceito de smart contracts, os programas auto-executáveis sem depender de um coordenador central.

Por último, temos Wei Dai, outro membro do grupo CypherPunks, formado em Ciência da Computação pela Universidade de Washington. Além de ter criado um conjunto de funções criptográficas conhecida como Crypto++, Wei é autor do “b-money”, um estudo de 1998.

Este “dinheiro distribuído de forma digital utilizando pseudônimos” utilizava um poder computacional para assegurar as transações, que seriam verificadas pela comunidade para posterior armazenamento no livro-registro compartilhado.

Além disso, o “b-money” premiava esses validadores por seu esforço, e um conjunto de chaves públicas e privadas garantiam que somente seu detentor poderia mover as moedas. Por esse motivo, Wei Dai é citado como referência no whitepaper do Bitcoin.

O Mercado Bitcoin explica o que é Bitcoin, e mostra que problemas a criptomoeda resolve.

Quem é o criador do Bitcoin?

Satoshi Nakamoto ocultava seu IP, ou endereço na internet, além de utilizar repetidores de e-mail que impossibilita definir sua origem. Uma análise linguística dos e-mails aponta para Nick Szabo, um dos principais suspeitos, além de Ian Grigg, outro conhecido criptógrafo e CypherPunk.

Grigg criou em 1996 os “Contratos Ricardianos”, um método de registro para vincular um contrato de forma segura utilizando uma função criptográfica (hash). Em resumo, uma maneira para que um computador consiga interpretar um acordo legal, garantindo uma resolução de disputas de forma rápida, segura e transparente.

Não bastasse tal coincidência, Grigg publicou um estudo em 2005 sobre “contabilidade usando registro triplo” utilizando assinatura digital, sem necessidade de um sistema centralizado. Em resumo, sua teoria basicamente descreve o funcionamento do Bitcoin. No entanto, o próprio estudo admite que a questão do “gasto duplo” permanecia em aberto, algo sem solução até aquele momento.

Sem dúvidas, o próprio whitepaper do Bitcoin cita outros “suspeitos” que contribuíram de alguma forma para o projeto, por exemplo, Adam Back, um criptógrafo e membro dos CypherPunks com PhD em Ciências da Computação.

Adam desenvolveu o “Hashcash”, um algoritmo de “Prova de Trabalho” para limitar os e-mails indesejados (spam), atualmente utilizado na mineração do Bitcoin. De forma resumida, exigia um esforço computacional moderado para criar um registro no cabeçalho do e-mail, permitindo ao destinatário verificar sua origem de forma simples e sem custos.

Em resumo, tudo aponta para uma colaboração de mais de uma pessoa, por isso, até o momento, foi impossível identificar um único criador.

Ficou curioso? No vídeo abaixo a equipe da @usecripto dá mais detalhes sobre o misterioso criador do Bitcoin.

Quantos Bitcoins tem Satoshi Nakamoto?

No primeiro ano de vida da rede Bitcoin, quase não havia mineradores, e a recompensa para cada bloco encontrado era de 50 BTC. O desenvolvedor e pesquisador de segurança digital argentino Sergio Demian Lerner divulgou em 2013 um estudo no qual descreve o padrão “Patoshi”.

Ao utilizar um equipamento mais potente que os demais usuários, Satoshi Nakamoto deixou um rastro digital de seus blocos minerados, onde Sergio encontrou algo próximo de 1 milhão de moedas. Estudos mais recentes mostraram que Satoshi chegava a desativar sua máquina após cada bloco encontrado para dar chance aos demais mineradores.

Ou seja, dos 18,8 milhões de moedas em circulação atualmente, especula-se que o criador do Bitcoin seja dono de 5,3%, os quais nunca foram movimentados. Esta fortuna equivale a 39 bilhões de dólares na cotação de agosto/2021. Portanto, na teoria, Satoshi Nakamoto figura entre os 35 mais ricos no ranking da revista Forbes.

Curiosamente, nenhum Bitcoin dentro desse padrão foi movimentado nos últimos 11 anos, reforçando suspeitas de que Hal Finney, falecido em 2014 em decorrência de uma doença degenerativa, foi o responsável por esta mineração.

Dorian Satoshi Nakamoto

Acima temos a icônica imagem de Dorian Satoshi Nakamoto, que curiosamente era do mesmo bairro de Los Angeles onde Hal Finney viveu. O físico aposentado trabalhou na área de segurança na comunicação de aviação do governo, mas foi desligado em 2001.

Analistas afirmam que um único desenvolvedor criou o código-fonte do software Bitcoin. Além disso, alegam que dificilmente outra pessoa mais experiente fez uma revisão na versão inicial, por conta das interfaces desnecessárias e funções mal integradas.

Comprar Bitcoin através de uma corretora (exchange) é simples, e você pode começar com apenas R$ 100.

O enigma por trás do criador do Bitcoin, Satoshi Nakamoto, talvez nunca seja resolvido. O fato do Bitcoin atribuído à sua mineração, que totalizam 1 milhão de moedas, é mais importante do que sua identidade.

Dado que esta fortuna jamais foi movimentada em 11 anos, indica que podem ser consideradas “perdidas”, tornando o Bitcoin ainda mais escasso. Em contrapartida, se forem enviadas para uma exchange, por exemplo, poderiam causar certo pânico momentâneo.

Por esse motivo, os grandes detentores, conhecidos como “baleias”, têm seus endereços constantemente monitorados pelos analistas.

Fique ligado

Ainda não tem conta?

Participe agora da nova economia digital!

Criar conta

Fique por dentro das novidades

Assine nossa newsletter e receba nosso conteúdo assim que sair.