Educação

Tecnologias envolvidas no trade de criptomoedas

26/01/2021

8 minutos de leitura

Tecnologias envolvidas no trade de criptomoedas

Comprar Bitcoin e negociar em uma exchange pode parecer uma tarefa simples. No entanto, por trás disto há a tecnologia do blockchain, mineradores, livro de ofertas, além dos mecanismos de segurança.

Em suma, nos investimentos centralizados, basta uma única entidade alterar o proprietário do ativo em um banco de dados. Nas transações imobiliárias, por exemplo, o registro é feito em cartório.

Em contrapartida, nas criptomoedas é necessário registrar transferências no blockchain, que por sua vez exige a participação dos mineradores. De maneira análoga, pela natureza digital dessas transações, são necessárias camadas adicionais de segurança, como a autenticação em dois passos (2FA).

Por fim, nem toda exchange é igual, pois além de diferentes livros de oferta, ativos, e até mesmo clientes, a segurança trazida pelas áreas de compliance varia. É isto que diferencia o Mercado Bitcoin, nosso histórico de funcionamento sem hacks, interrupções nos saques, ou vazamento de dados.

Quer aprender sobre as tecnologias por trás dos investimentos em criptomoedas? Acompanhe conosco!

O que é blockchain? Para que serve?

O blockchain é um banco de dados armazenado na internet, de forma pública, sem um controle central. Dessa forma, foi criado para distribuir a informação de forma transparente e auditável.

A cadeia de blocos sequenciais é uma característica que diferencia o blockchain dos bancos de dados convencionais. Além disso, tais informações são armazenadas de forma segura utilizando um código criptográfico, conhecido como hash.

O objetivo desta tecnologia é prover um histórico de transações público e auditável. Dessa maneira é possível visualizar o saldo de qualquer endereço, e até mesmo o montante de moedas em circulação.

Desse modo o blockchain impede que alguém tente gastar moedas que não possui, ou o envio da mesma criptomoeda para diferentes destinatários.

Ficou com dúvida? Calma, este outro artigo explica em mais detalhes os principais mecanismos e aplicações do blockchain.

Qual o papel dos mineradores?

A mineração de criptomoedas é feita por computadores buscando soluções para equações matemáticas. Dessa maneira, o processo valida e registra as transações na rede sem a necessidade de um controle central.

Em resumo, esta operação requer o uso de equipamentos especializados, que além de ter um alto custo, demanda muita energia elétrica. No entanto, é um mito que os mineradores controlam a rede. Ou seja, se os mineradores não seguirem as regras impostas pelos usuários, seus blocos são invalidados, causando a perda da recompensa.

Acompanhe este outro post que explica em detalhe como funciona a mineração de bitcoin.

Cabe lembrar que nem todas as criptomoedas utilizam o mecanismo Prova de Trabalho (Proof of Work). Isso porque algumas optaram pela Prova de Participação (Proof of Stake), na qual o agente que deseja validar transações precisa colocar moedas de garantia. Além disso, cede poder computacional, necessário para processar as transações.

Como funciona uma exchange de criptomoedas?

As exchanges, ou corretoras de criptoativos, são plataformas eletrônicas que facilitam a compra, venda e troca de criptomoedas e tokens. Em resumo, apenas conectam compradores e vendedores, assegurando que cada um receba o que foi negociado.

Para evitar riscos para ambas as partes, surgiu a figura das exchanges, que garante que a entrega do criptoativo será realizada após a compra no livro de ofertas. Desse modo, as exchanges copiaram o modelo das corretoras tradicionais, cobrando taxas em troca deste serviço de intermediação e liquidação.

Sob outra ótica, a exchange assegura que os recursos, tanto digitais quanto valores fiduciários, são de origem lícita. Isso evita problemas para os clientes com os agentes reguladores, além de oferecer transparência na negociação.

O que é o livro de ofertas?

De maneira similar às bolsas de valores, as exchanges organizam as negociações de ativos em um livro de ordens público. Desta maneira, quem deseja comprar ou vender estes tokens e criptomoedas precisa inserir uma ordem no sistema.

Em resumo, são os clientes que definem a quantidade total e o preço unitário a ser negociado. Ou seja, os valores de mercado são determinados única e exclusivamente pela oferta e demanda dos clientes, sem interferência da exchange neste processo.

No entanto, para facilitar a negociação dos clientes, oferecemos a opção de “Compra rápida”. Neste caso a ordem será enviada ao livro de ofertas buscando as melhores ofertas disponíveis no momento. Embora não seja uma garantia de execução, reduz muito o risco de ficar com a oferta no livro sem que existam vendedores no preço.

Acima temos as telas em nosso aplicativo para Android e iOS, onde é possível selecionar o criptoativo, e em seguida optar pela “Compra rápida”. Neste caso, é preciso apenas informar qual o valor da oferta de compra a ser enviada ao mercado.

Ficou com dúvidas sobre as ferramentas de trade? Acompanhe o vídeo abaixo nosso guia para iniciantes.

API de consulta e API de negociação

API, ou “Interface de Programação de Aplicativos”, é um padrão de acesso à softwares, permitindo a conexão de forma automatizada. É desta forma que os robôs de trade, ou sistemas algorítmicos, são conectados à plataforma do Mercado Bitcoin.

Existem APIs somente de consulta, enquanto outras necessitam de uma chave de acesso para envio de instruções. As vantagens para trade através da API incluem a possibilidade de automatizar estratégias, de forma muito mais rápida e segura, além de assegurar a tomada de decisão mais racional.

No manual do API do Mercado Bitcoin você irá encontrar todas as funcionalidades, incluindo consultas, histórico de preços, envio de ordens, consulta ao livro de ofertas, entre outras.

Ferramentas de segurança

Um dos pilares centrais do Mercado Bitcoin é nossa preocupação com a segurança. Nesse sentido, oferecemos ferramentas como a Verificação em Duas Etapas (2FA), além de PIN para acesso às contas.

Não obstante, mantemos grande parte dos bitcoins de nossos clientes em cold wallets, carteiras que não estão conectadas à internet. Nossa arquitetura de sistemas foi desenhada para a segurança, incluindo rotinas de salvaguardas, replicação, e tolerância à falhas.

Essas camadas adicionais de segurança são exclusivas do Mercado Bitcoin, líder de mercado em liquidez. Justamente por nosso comprometimento nesses aspectos, somos a exchange mais confiável da América Latina de acordo com o Blockchain Transparency Institute - BTI.

A importância de escolher uma exchange

É comum o iniciante em criptoativos optar por exchanges com menores taxas. No entanto, esquece de considerar que durante momentos de grandes oscilações, a cotação nestas exchanges tende a ficar muito distante das líderes, como o Mercado Bitcoin.

De maneira similar, justamente quanto você precisa comprar ou vender por conta de fortes oscilações no mercado, estas exchanges menores costumam ficar com sistemas indisponíveis. O nome técnico para esta situação é problemas de uptime, à medida de quanto tempo o servidor de um site está funcionando.

Por estes motivos, o convidamos a realizar o cadastro e acompanhar nossa oferta de criptoativos, digital assets, além da maior liquidez em qualquer situação de mercado.

Agora que você entendeu a tecnologia por trás dos trades de criptomoedas, siga nossas dicas no Instagram e Facebook. Acompanhe conosco as novidades e informações mais relevantes do universo das finanças digitais.

Fique ligado

Ainda não tem conta?

Participe agora da nova economia digital!

Criar conta

Fique por dentro das novidades

Assine nossa newsletter e receba nosso conteúdo assim que sair.