Educação

Tipos de Investimentos: Quais os melhores de Curto, Médio e Longo Praz…

Criado em 21/12/2021 - Atualizado em 21/12/2021

5 minutos 30 segundos de leitura

Tipos de Investimentos: Quais os melhores de Curto, Médio e Longo Prazo?

As políticas de estímulo dos governos para combater a crise causaram grandes perdas no rendimento das aplicações. A inflação chegou com força em 2021, tornando indispensável conhecer diferentes tipos de investimento.

Sem dúvidas, uma carteira saudável deve conter ativos voltados para o médio e longo-prazo, enquanto outra parte dos investimentos garante necessidades de caixa no curto-prazo.

Como fazer esse balanceamento da forma correta? Quais os melhores tipos de investimento em cada categoria? Aprenda a montar uma carteira rentável para 2022.

Quais os tipos de investimentos financeiros?

Os investimentos financeiros são classificados basicamente em dois grandes grupos:

Renda fixa: apresentam rentabilidade pré-determinada, podendo ou não ser atrelada a algum indicador; destacam-se a poupança, CDB - Certificados de Depósito Bancário, Fundos DI, e Tesouro Direto.

Renda variável: não garante um retorno fixo, nem mesmo a manutenção da aplicação inicial; são exemplos as ações de empresas; moedas; fundos imobiliários; criptoativos.

renda-fixa-vs-renda-variavel

Muitos investidores acreditam ser impossível perder dinheiro na Renda Fixa, porém isso é um mito. Confira abaixo os motivos:

  • Com a alta da inflação e queda na taxa de juros, o rendimento líquido do segmento tornou-se negativo.
  • Mesmo os tipos de investimentos conhecidos pela previsibilidade de retorno apresentam risco de perda do poder de compra.

O que são investimentos de Curto, Medio e Longo Prazo?

Curto, médio e longo prazo se referem ao horizonte de maturação da aplicação. No mercado, o tempo é uma das variáveis que mais influencia o potencial de rendimento. Em linhas gerais, quem está disposto a deixar os valores por um período maior tem opções mais rentáveis.

Não existe uma regra que impeça o investidor de permanecer por muitos meses ou anos em aplicações de curto prazo. Entretanto, a tendência é que este patrimônio tenha um rendimento menor comparado a uma carteira voltada para o médio e longo prazo.

Tipo de investimento de curto prazo

É indicado para quem busca resgates de dinheiro rápidos e acessíveis, portanto, com baixo prazo de carência.

  • São operações com até 30 dias para resgate, em sua maioria de Renda Fixa.
  • Muito utilizadas como Reserva Financeira, ou de emergência.
  • Tradicionalmente são as modalidades com menores retornos.

Exemplos: CDB, Fundos DI, Criptoativos pareados em dólar (stablecoins), Fundos Long & Short.

Deixar a reserva de emergência em um local seguro é essencial. Confira algumas dicas importantes.

Tipo de investimento de médio prazo

São instrumentos que possuem um horizonte mais longo para maturar, e eventualmente possuem uma carência de 30 dias ou superior.

  • São ativos cujo objetivo de retorno ocorre entre 90 dias e 3 anos.
  • Podem ser de Renda Fixa ou Renda Variável.
  • Apresentam maior oscilação na cotação, especialmente no curto prazo.

Exemplos: Fundos multimercados, Tokens de Precatório, Tesouro Direto, Fundos Imobiliários.

Tipo de investimento de longo prazo

Nesse caso, a preocupação com a liquidez é pequena, ou seja, não é necessário um mercado ativo de negociação do ativo. Isso porque o horizonte deste tipo de investimento é de 4 anos ou mais.

  • Funcionam bem para metas mais distantes, como aposentadoria ou herança.
  • Prioriza o potencial de rentabilidade, portanto mais aberto ao risco, especialmente as variações de curto prazo.
  • Dificilmente envolvem aplicações de Renda Fixa.

Exemplos: Fundos Cambiais, ações de empresas, Token da Vila (Santos), Debêntures, criptomoedas.

Quais as diferenças entre investimentos conservadores e arrojados?

Investimentos conservadores apresentam alta previsibilidade, porém baixo retorno. Já as aplicações com perfil arrojado podem apresentar surpresas na rentabilidade.

Essa nomenclatura é derivada do perfil de investidor, algo que se tornou padrão na indústria financeira tradicional, porém perdeu sentido na nova realidade de taxas de retorno negativas nas aplicações de baixo risco.

Criptoativos são investimentos de curto, médio ou longo prazo?

Depende, pois há criptomoedas com maior oscilação de preços, e criptoativos lastreados em bens reais, como Tokens de Consórcio e stablecoin do ouro.

Pela alta liquidez dos criptoativos, ou seja, a facilidade de transformá-los em dinheiro, são classificados como tipos de investimentos de curto prazo. Porém, também podem se encaixar em estratégias de investimentos de médio e longo prazo.

Como exemplos, temos os dois perfis básicos de investidores de criptomoedas:

  • Holder, ou HODL: acreditam no potencial de longo prazo das criptomoedas; não realizam vendas em momentos de pico, e fazem compras periódicas.
  • Trader: buscam aproveitar as oscilações de preços para aumentar ou reduzir sua posição; fazem compras e vendas de diversos ativos, usualmente buscando retorno no curto e médio prazo.

Quais os melhores investimentos de médio e longo prazo?

Dentre estes tipos de investimentos destacam-se o mercado de ações e as criptomoedas. Até pouco tempo, investimentos de médio e longo prazo não eram relacionados ao Bitcoin. Hoje, no entanto, o Bitcoin é um tipo de investimento que agrada por seu alto potencial.

Outro segmento que cresceu muito com a queda na remuneração da Renda Fixa foram os ativos alternativos, que incluem os Tokens de Consórcio, Crédito de Carbono, Recebíveis, entre outros. São aplicações que emulam a segurança e previsibilidade do mercado tradicional, porém com maior potencial de retorno.

Só o investidor arrojado deve investir em criptomoedas?

Não. O mercado de criptomoedas evoluiu muito, portanto há diferentes tipos de investimento para atender a cada perfil de investidor. Desse modo, mesmo aqueles com menos tolerância às oscilações de preços têm opções. Um exemplo desse tipo de investimento são as stablecoins, criptoativos pareados ao dólar ou ouro.

Ficou curioso? No vídeo abaixo a equipe da @usecripto mostra como é fácil e rápido investir em dólar.

Como o Bitcoin ajuda a reduzir o risco da carteira?

Bitcoin é ativo com uma baixa correlação, ou seja, nem sempre acompanha os mercados financeiros tradicionais. Essa característica é essencial para uma gestão de risco correta.

Outras características de destaque do Bitcoin:

  • Preserva seu poder de compra por conta de sua escassez digital.
  • Pode ser negociado 24 horas, tanto nas corretoras de criptoativos, as exchanges, quanto diretamente entre os participantes da rede.
  • Apresenta transações irreversíveis e transparentes, de forma auditável.
  • Funciona sem qualquer governo ou autoridade central, portanto, não pode ser censurado.

Ao ter uma carteira diversificada incluindo Bitcoin, o investidor se beneficia de um tipo de investimento com vetores de alta distintos ao mercado tradicional.

Como começar a investir em Bitcoin?

No Mercado Bitcoin, começar a investir em Bitcoin é simples. Todo o processo, incluindo o cadastro, pode ser feito pelo site ou aplicativo para Android e iOS. Em seguida, deve-se fazer a transferência via TED ou PIX, e após a confirmação do depósito, realizar a compra da criptomoeda desejada.

O Mercado Bitcoin é líder no volume de negociação em Reais R$, e oferece mais de 80 criptoativos com liquidez e segurança.

Agora que você já entendeu quais tipos de investimentos existem, abra sua conta no Mercado Bitcoin e passe a aproveitar os benefícios das criptomoedas.

Fique ligado

Ainda não tem conta?

Participe agora da nova economia digital!

Criar conta

Fique por dentro das novidades

Assine nossa newsletter e receba nosso conteúdo assim que sair.